Connect with us

Destaque HOME

A seriedade de Ronaldo Correia versus os altos e baixos da política

mm

Publicado

em

[Edelvânio Pinheiro] A política está em estado de euforia. Cada um dos apaixonados e extremistas defende suas ideias e apenas uma pequena parcela pondera com sensatez e equilíbrio num esforço para dar nova marcha ao país.

Parece delírio dizer que hoje em dia existe um político que se consolida como alguém que saiba esganar os tentáculos e livrar o Brasil de um colapso provocado pela impiedosa corrupção e violência. Apesar disso, ouso apostar que existem pessoas com ideias expressivas e com vontade de verdadeiramente lutar por um povo que tanto sofre com a maquiavelice de alguns gestores.

Não diferente do restante do país, Itanhém também tem sido alvo do descaso e consequentemente também se tornou tema de debates acirrados nas redes sociais. Nesse exército de opiniões poucos se salvam, mas é nas críticas que podemos medir e pesar as boas ações e as qualidades de alguém que, com boas intenções, se lança na política.

Política é algo complexo, como sabemos e fica cada vez mais difícil debatê-la com os fanáticos de plantão, até mesmo porque, para os adoradores, a soma é o grito e não a quantidade de benefícios trazidos para uma comunidade.

Nesse contexto, existem políticos que, pelo que vem demonstrando, facilmente alçariam altos e longos voos se estivessem um dia à frente da administração de um município.

Ronaldo Correia é um cidadão itanheense que ama a sua terra natal e tem declarado isso em quase todos os seus discursos. Para quem desconhece a história dessa figura pública, ele permaneceu nos Estados Unidos por mais de duas décadas e voltou de lá com uma bagagem de ideias e boa vontade para ajudar os seus conterrâneos. A América é linda, encantadora e iluminada, mas suas luzes não embriagaram Ronaldo porque ele sempre apostou e acreditou na sua gente e na capacidade que sua terra tem para vencer as crises.

Vereador firme e decisivo, Ronaldo Correia não dispensou a oportunidade de mostrar competência nas suas ações quando, em apenas um ano e nove meses, conseguiu fazer por Itanhém o que outros políticos não fizeram, mesmo estando no mandato por mais de uma década.

Sempre defendi a ideia de que o povo deve apoiar novas lideranças políticas que pousam com vontade de fazer a diferença. Portanto, incentivar Ronaldo Correia significa acreditar que, apesar das máscaras e da incompetência de muitos, existe gente criado e moldado dentro dos padrões da ética, de sensibilidade e de amor que pode um dia ajudar a traçar novos caminhos para a terra de Água Preta.

Acreditemos nos políticos fáceis de encontrar, acessíveis a todos e que não sejamos vendados pelo fanatismo e pela hipocrisia. Apostemos na capacidade de alguém que pode até não ter as mesmas ideias que nós, mas que tem identidade própria e que respeita as leis e o outro no mais amplo sentido da palavra.

Afinal, mesmo que o cenário esteja bombardeado pelo caos, é preciso apostar naqueles que se dispõem a nos liderar e é necessário acreditarmos em alguém que esteja disposto a voar em busca de novos caminhos.

 

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado
1 Comentário

1 Comment

  1. Almir Zarfeg

    19 de setembro de 2018 at 10:16

    Ainda continuo vendo Ronaldo como um “outsider” da política itanheense. Como alguém que, de repente, revolve se aventurar na política para satisfazer o ego, sem muita convicção, preparo ou seriedade públicos.

    Ao prestigiar o evento dos “60 homenageados”, em 14 de agosto e promovido pela ATL, Água Preta News e Café Ticiana, eu elogiei a postura corajosa dele, já que muitos (inclusive alguns homenageados) não compareceram pressionados por Álvaro Pinheiro, que se empenhou pessoalmente em boicotar o evento.

    Se se trata de um oportunista ou aventureiro, só o tempo dirá. Mas, desde já, torço para que “Naná” – como o tratávamos na infância – continue ativo na Câmara Municipal. Agora, sem a tutela da presidência e a pressão da família Pinheiro, poderá se tornar porta-voz dos itanheenses. Não é mesmo, Bita de Itanhém?

Deixe sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque HOME

Para André Correia ser vereador “é o momento de separar homens de moleques’

mm

Publicado

em

O vereador André Correia (PHS) fez um alerta nas redes sociais aos pretensos candidatos a uma das nove vagas da Câmara de Itanhém, na próxima eleição municipal. Para ele a vereança é uma experiencia que desgasta.

“Desejo boa sorte aos pré-candidatos”, disse o vereador. “[Ser vereador] é uma experiência boa e um pouco desgastante, porém é o momento de separar homens de moleques, é a oportunidade de mostrar à comunidade se o candidato quer o bem de todos ou o conforto de sua família”, enfatizou.

André Correia, que doou todo o seu décimo terceiro salário e férias para associações da cidade foi além e chamou de ‘sanguessugas de prefeitura’ aqueles que se elegem comprando votos.

“O maior absurdo de nossa cidade é escutar, de alguns ‘sanguessugas de prefeitura’, que serão eleitos porque têm dinheiro pra gastar”, lamentou André. “O ato de votar por dinheiro o eleitor complica a vida de 20 mil habitantes e atrasa um município inteiro”, finalizou.

FOTO: arquivo.

Continuar leitura...

Destaque HOME

Bentivi é homenageado por internautas em seu aniversário

mm

Publicado

em

O ex-prefeito de Itanhém, Milton Ferreira Guimarães, o Bentivi (PSB), comemorou seus 50 anos neste domingo (17) em companhia de familiares e amigos. Prefeito por dois mandatos, de 2009 a 2016, o bancário é considerado um dos melhores gestores do município.

Nas redes sociais foram registrados o carinho e o reconhecimento da população com o ex-prefeito. Internautas publicaram imagens de obras construídas durante suas gestões e a música “Bem te vi”, de Renato Terra, para homenagear o político.

Relembre aqui o que disse Bentivi no último dia de seu mandato ao Água Preta News.

Veja as imagens de algumas obras do ex-prefeito que foram compartilhadas pelos internautas:

 

 

Continuar leitura...

Destaque HOME

Justiça não determinou, mediou acordo no caso em que prefeita e seu irmão acusam internautas

mm

Publicado

em

[Edelvânio Pinheiro] Quem nos acompanhou nessas duas décadas e meia de jornalismo sabe que sempre nos pautamos pelo princípio ético de respeito ao trabalho dos profissionais da imprensa e que muito evitamos comentar publicações de colegas jornalistas.

Situações, entretanto, não podem deixar de serem lembradas, como a recente publicação do desfecho de um termo circunstanciado de ocorrência, no qual a prefeita de Itanhém, Zulma Pinheiro (MDB) e seu irmão, Newton Pinheiro, figuram como autores de uma reclamação por supostos crimes contra a honra, que teriam sido praticados por dois internautas, que negam terem feito qualquer tipo de ofensa.

A publicação é categórica ao afirmar que a “Justiça determinou a retratação das agressões verbais sofridas pela prefeita na internet”.

Acontece que os crimes contra a honra, a calúnia, a difamação e a injúria são considerados de menor potencial ofensivo e, por esta razão, possuem pena prevista de até dois anos. Assim, esses casos são processados e julgados no Juizado Especial Criminal, que tem estrutura e procedimento próprios, determinados em lei. Importante ressaltar que esses juizados especiais prezam pela resolução pacífica dos conflitos, ou seja, sempre buscam a conciliação entre as partes. Caso não seja possível a realização de um acordo para resolver a situação que deu origem ao boletim de ocorrência na delegacia, aí sim, o processo segue até que o juiz profira, ou como preferiu a publicação em questão, determine uma sentença.

No caso deste termo circunstanciado, que gerou a partir do registro do boletim registrado pela prefeita e seu irmão, não houve nenhuma determinação judicial porque a conciliação foi perfeitamente aceita pelas duas partes. Caso uma delas não houvesse aceitasse o processo seguiria até que um juiz desse o veredicto.

Não é necessário ser operador do direito para entender que esse tipo de conflito é sempre bom ser resolvido da forma como fizeram a prefeita e seu irmão e os dois cidadãos envolvidos, afinal, processo penal, seja de qualquer tipo é desgastante para ambos os lados. Quando há a necessidade de interferência da Justiça será sempre uma medida extrema, que deve ser deixada para quando não houver acordo.

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA