Connect with us

Destaque HOME

Prefeita parece uma figura paradigmática do coronelismo quando dificulta fiscalização de seu mandato

mm

Publicado

em

A prefeita Zulma Pinheiro e seu irmão Álvaro Pinheiro, que é o secretário da Educação e é quem também tem o poder de mudar as pedras do tabuleiro administrativo na hora que acha conveniente, na condução dos destinos do município, adotam a visão do atraso, porque administram para um pequeno grupo e seus familiares, a manifestação do ódio, porque perseguem quem não coaduna com suas ideias e adotam ainda a prática do coronelismo, porque centralizam o poder e querem exercer domínio sobre as pessoas que dependem de migalhas, como empregos temporários, por exemplo.

Isso é preocupante num país republicano onde, através da democracia, o povo é quem deve tomar as decisões políticas e de poder. Essa preocupação é maior ainda quando a prefeita decide não respeitar o direito constitucional do Poder Legislativo de fiscalizar as ações do Poder Executivo.

Entendamos o que aconteceu.

Os vereadores André Correia (PHS), Whindson Mendes, o Nem Mendes (PP), Audrey Correia (PR) e Deilton Porto, o Caboquinho (DEM), quando, juntamente com Luiz Marcos Vilas Boas, o Marquinhos (PSB), faziam parte do extinto Bloco Parlamentar solicitaram da prefeita Zulma Pinheiro (MDB) a lista integral e discriminada por secretarias, de toda a frota de veículos leves e pesados da prefeitura de Itanhém, incluindo os de propriedade do município e contratados, com cópia de CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos) e apólice de seguros de cada um deles. O objetivo era fiscalizar os altos investimentos feitos em transporte, inclusive averiguar se o gasto com combustível era compatível com a frota existente.

O requerimento solicitando estas informações havia sido aprovado pelo plenário da Câmara Municipal no dia 9 de novembro de 2017, transformando-se, desta forma, em um pedido do próprio Poder Legislativo. No dia seguinte o pedido foi encaminhado à prefeita pelo presidente Ronaldo Correia (PC do B).

Em 28 de novembro, 18 dias depois, portanto, a prefeita requereu prorrogação de 30 dias de prazo para responder a solicitação dos vereadores. Esse prazo terminou no dia 18 de dezembro e nenhuma resposta chegou às mãos dos vereadores, num flagrante desrespeito ao Legislativo em seu papel fiscalizador.

Sem resposta, no dia 12 de janeiro de 2018, o vereador André Correia encaminhou novo ofício a Zulma Pinheiro, cobrando as informações solicitadas. Mais uma vez sem resposta, o vereador requereu na Justiça medida liminar, com pedido de tutela provisória de urgência antecipada. Na ação foi juntada uma série de documentos para provar que a prefeita estava dificultando o trabalho dos vereadores no sentido de fiscalizar o Executivo Municipal.

Como a incumbência constitucionalmente de fiscalizar as ações do Executivo é prevista para o exercício da função de vereador, o pedido de liminar foi prontamente acatado pelo juiz Paulo Ney de Araújo, no último dia 18 de setembro.

Em seu despacho, o magistrado determinou que a prefeita Zulma Pinheiro preste integralmente as informações solicitadas no prazo de cinco dias, sob pena de multa diária para a sua pessoa, no valor de R$ 500 e, além disso, de caracterização de crime de desobediência.

Passaram-se mais de 10 meses desde a solicitação inicial para que a Justiça obrigasse que as informações chegassem aos vereadores ou, pelo menos, a um ou dois deles, já que alguns, nesse período de tempo fizeram acordo com o grupo da prefeita e passaram a ler na cartilha editada pelos irmãos Pinheiro. E, a essa altura do campeonato, temendo represália política, não devem ter mais interesse de fiscalizar absolutamente nada.

Diz a história que “a fase mais marcante do coronelismo aconteceu durante a República Velha e que, depois desse período, algumas práticas do coronelismo resistiram até 1960, principalmente nas regiões do interior do país”. No entanto, depois de tentar impedir que os vereadores fiscalizem seu mandato, Zulma Pinheiro nos parece uma figura paradigmática do coronelismo repaginado da atualidade. Até mesmo porque a sua disposição de se apresentar como a‘mãe da saúde’ e de haver prometido emprego a algumas famílias desesperadas por um afazer, sinaliza que a perversidade política dela, sob a batuta do irmão,não tem mesmo limites.

Destaque HOME

De lá Maria Pinheiro está aplaudindo sua neta, que é “impávida que nem Muhammad Ali”

mm

Publicado

em

Eu me lembro como se fosse hoje.

Ainda numa maca no corredor do Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, quando retornou do último AVC, minha mãe, Maria Pinheiro, que há seis anos não mais está neste plano, disse que não queria ter voltado.

Ao recobrar a consciência e perceber que estava viva, ela desapontou-se, descrevendo aquele mundo onde estivera por algumas horas como um lugar harmonioso, de luz, de serenidade e de uma beleza exuberante. Falou das plumas que a envolviam, dando-lhe proteção e também que lá não habitava o sofrimento, a ansiedade, a depressão ou quaisquer outros males da alma.

Imagino que um anjo deva ter recebido minha mãe com luzes serenas e que mãos poderosas a envolveram durante todo o período que aqui ela se manteve desacordada.

Nos 80 anos que por aqui esteve, Maria Pinheiro valsou embalada pela vontade e ternura de viver e enfrentou o mundo com dignidade e força para ser o pai e a mãe dos nove filhos que criou. Autodidata, ela aprendeu a ler, a escrever e ensinou aos filhos o valor da simplicidade das coisas.

Cresci vivenciando a batalha diária que a minha mãe travava para nos manter e nos educar. E esses laços invencíveis, guardados no inconsciente, os quais unem eu e minha mãe além da vida, fiz questão de transferir aos descendentes que decidiram seguir os passos que com ela aprendi. Entre os descendentes está a minha primogênita, “impávida que nem Muhammad Ali, apaixonadamente como Peri e infalível como Bruce Lee”.

E sei que neste dia 12 de dezembro, lá do reino sereno e poderoso que minha mãe tão perfeitamente descreveu quando retornou daquele AVC está Maria Pinheiro, de pé, aplaudindo a sua neta Thathira Mickaelle, que acaba de apresentar o trabalho final do curso de direito na Faculdade Pitágoras.

[Crônica de Edelvânio Pinheiro]

Foto: Thathira Mickaelle com os professores Caike Gama, Luciano Porto e Gilleard Pádua, durante apresentação do TCC.

Continuar leitura...

Destaque HOME

Academia Teixeirense de Letras realiza sessão solene final de 2018 nesta quinta (13)

mm

Publicado

em

[Edelvânio Pinheiro] A Academia Teixeirense de Letras (ATL) realiza sua sessão solene final de 2018, a partir das 19h desta quinta-feira (13), no auditório da Câmara de Vereadores de Teixeira de Freitas/BA.

“Desde já, contamos com a presença ilustre dos amantes da literatura, da cultura e da arte no nosso evento acadêmico final do ano”, convida Almir Zarfeg, presidente da ATL.

Segundo o presidente, a sessão acadêmica será marcada pelo lançamento do volume III da antologia “ATL em Verso e Prosa!”, pela abertura das inscrições para a 3ª edição do Prêmio Castro Alves de Literatura e, também, pela apresentação dos candidatos às cadeiras 22 e 36 da ATL.

“Também serão conhecidos os indicados ao Prêmio Destaque Poético 2018 da editora luso-brasileira Mágico de Oz, que vai acontecer em Petrópolis/RJ no próximo dia 15 de dezembro”, acrescentou Zarfeg.

Na oportunidade, o maestro Eudes Oliveira Brito será indicado formalmente à condição de 1º Membro Benemérito da ATL. Ele é autor da melodia e do arranjo do hino oficial da instituição literocultural. O acadêmico Marcus Aurelius é o autor da letra.

Durante a cerimônia acadêmica, a professora Enelita Freitas será homenageada pela passagem do seu 70º aniversário.

“Será um evento acadêmico inesquecível com as bênçãos de Castro Alves, nosso patrono-geral”, concluiu Zarfeg, que vai receber o Troféu Água Preta de 2018 das mãos da diretora do portal Água Preta News, Sandra Costa.

Continuar leitura...

Destaque HOME

Vídeo mostra ação de atirador dentro da igreja em Campinas

mm

Publicado

em

Imagens do circuito interno da Catedral Metropolitana de Campinas, no interior de São Paulo, flagraram o momento em que um atirador realizou disparos contra fiéis que acompanhavam à missa, no início da tarde desta terça-feira (11). Quatro pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas devido à ação do atirador, que se matou em seguida.

Inicialmente as autoridades disseram que cinco pessoas haviam morrido, depois esse número foi corrigido.

Policiais dispararam contra o criminoso e conseguiram atingi-lo na costela. O momento em que o atirador tira a própria vida não foi registrado.

 

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA