Connect with us

Destaque HOME

Presidente da Câmara de Itanhém transforma ‘tapa-buraco’ num momento cinematográfico e cai no ridículo

mm

Publicado

em

O presidente da Câmara de Itanhém, Sasdelli Resende (PSDB), aliado da prefeita Zulma Pinheiro (MDB) talvez tenha protagonizado uma das cenas mais ridículas do mundo moderno da política. Nesta terça-feira (8), o homem que agora preside o poder Legislativo de Itanhém, solicitou que a prefeitura jogasse barro para tampar centenas de buracos que há muito tempo está inviabilizando o trânsito na rua José Resende Sobrinho, próximo à periferia da cidade.

Tampar os buracos daquelas ruas seria a coisa mais simples que uma administração poderia fazer pela população, especialmente pelos moradores que diariamente fazem uso daquele logradouro, entretanto, para Sasdelli Resende aquilo foi algo extraordinário, um momento cinematográfico, digno de nota na imprensa local, com direito a agradecimento à prefeita e ao irmão dela, o latifundiário Newton Pinheiro, que ocupa duas importantes secretarias, da Administração e Finanças e da Infraestrutura.

Achando pouco, o vereador esteve no local, trajando jeans e sapato bico fino para simular que estava ajudando a tampar os barracos da rua, que um dia foi asfaltada e que recentemente mais parecia as crateras da lua. Sem nenhum senso de ridículo, Sasdelli Resende posou com uma enxada na mão.

Essa rua, que juntamente com a rua Alvorada liga o Parque de Exposição à BA-290, foi asfaltada no final do ano de 2002, quando o prefeito do município era Neco Batista, pai da atual prefeita Zulma Pinheiro. No mês de agosto passado ao comemorar a chegada do asfaltamento de algumas ruas do centro da cidade com recursos do estado, a prefeita desmereceu o trabalho do próprio pai, insinuando que a cidade nunca havia tido uma rua asfaltada. Relembre aqui e veja o vídeo da fala da prefeita.

O vereador, na nota dada pela imprensa se faz passar por um político que anda antenado com as necessidades urgentes da população quando, na verdade, os buracos só foram tampados depois que, por diversas vezes, dezenas de pessoas denunciaram, nas redes sociais, o estado de imobilidade que estavam as ruas José Resende Sobrinho e Alvorada.

No dia seguinte à operação tapa-buraco protagonizada pelo presidente da Câmara, durante a madrugada, uma fraca chuva caiu, mas o suficiente para transformar todo o trabalho em um lamaçal, assim, emporcalhado, bem ao estilo dos irmãos Pinheiros e aqueles que vergonhosamente os acompanham.

Nas redes sociais não faltaram críticas ao vereador.

No dia seguinte à operação tapa-buraco da rua, que o vereador Sasdelli transformou num momento cinematográfico, a chuva caiu de madrugada e o lamaçal tomou conta de tudo.

Destaque HOME

Prefeita de Itanhém baixou o próprio salário e dos secretários para R$ 1. Vice-prefeito ficou de fora

mm

Publicado

em

A prefeita de Itanhém, Zulma Pinheiro (MDB), baixou o próprio salário e os salários de seus secretários para R$ 1,00. Apenas o vice-prefeito André Lisboa (PSDB), que é filho de um dos secretários municipais – de acordo com o decreto da prefeita – não precisava colaborar com o “triste momento” porque passa o município e ficou de fora, recebendo integralmente o seu vencimento.

O decreto nº 83 foi assinado no último dia 27 de dezembro e estabelece estado de emergência financeira no município pelo período de 45 dias, com efeitos retroativos a 1º de dezembro de 2018.

A chefe do Executivo fez nove considerações para justificar sua decisão, entre elas as insuficiências – segundo o decreto – dos valores do Fundo de Participação dos Municípios e das transferências governamentais para a manutenção de programas, “obrigando o município a gastar grandes valores oriundos de recursos próprios para garantir o funcionamento de serviços essenciais como saúde, educação, energia, abastecimento e limpeza pública”.

O salário da prefeita é de R$ 15 mil, do vice-prefeito R$ 7.500 mil e dos secretários, R$ 5 mil.

FOTO: Zulma Pinheiro, prefeita e André Lisboa, vice-prefeito.

Continuar leitura...

Destaque HOME

Vazamento enorme afeta 800 milhões de emails e senhas; veja se foi afetado

mm

Publicado

em

[Gabriel Francisco Ribeiro Do UOL, em São PauloUm número inacreditável de quase 800 milhões de emails e senhas foi vazado recentemente na internet. De acordo com a Wired, a brecha foi notada pelo pesquisador de segurança Troy Hunt e contém mais de 12 mil arquivos, com 87 gigabytes de dados, postados em um fórum hacker. A falha gigante envolve 772.904.997 endereços de email únicos, além de mais de 21 milhões de senhas únicas. Essa é considerada uma das maiores brechas de segurança envolvendo vazamentos de email na história.

Os números acima, por sinal, não refletem a real quantidade de dados vazados. Isso porque o pesquisador fez um esforço de limpar os dados duplicados e inutilizáveis. Na forma crua, o número de endereços de email e senhas passava de 2,7 bilhões – incluindo mais de um bilhão de combinações únicas de emails e senhas.

Troy Hunt mantém o site Have I Been Pwned. Na plataforma, você pode descobrir se o seu email ou a sua senha já foram comprometidos em alguma brecha na história –ele oferece até mesmo em quantos vazamentos seu email já esteve envolvido.  O hack Chamada de Collection #1, essa brecha é a maior que Hunt já testemunhou. E ela não envolve apenas o vazamento de um serviço –é uma chamada “brecha das brechas”, que agrega mais de 2.000 bases de dados vazadas. “Parece ser uma coleção aleatória de sites puramente para maximizar o número de credenciais disponibilizadas para hackers. Não existem padrões óbvios”, afirmou Hunt à Wired. Apesar de os dados envolvidos não contarem com informações sensíveis, como CPF e números de cartões, a falha é séria e histórica. Mais de 140 milhões de emails e mais de 10 milhões de senhas vazadas nessa falha, por exemplo, são novas no banco de dados de Hunt. O vazamento do Yahoo, por exemplo, teria afetado 3 bilhões de usuários, mas as informações vazadas não vieram a público até agora.

Como serei afetado? A lista vazada parecer ser projetada para uso nos chamados ataques de preenchimento de credenciais, em que hackers entram com email e combinações de senhas em um site ou serviço. Esses são processos tipicamente automatizados, que confiam principalmente em pessoas que reutilizam as mesmas senhas em vários sites.

Pelo vazamento ter aparecido em um dos sites de armazenamento na nuvem mais populares na atualidade, o Mega, e não somente na deep web, Hunt vê a questão como séria. Os dados não estavam à venda, mas disponíveis para quem quisesse ver.

A maneira como eles estavam organizados também preocupa.  “São senhas em texto simples. Se levarmos em conta um vazamento como o do Dropbox, eram 68 milhões de endereços de email, mas as senhas eram criptografadas, tornando-as muito difíceis de usar”, explicou Hunt.

Ou seja: para os dados serem utilizados, basta o malfeitor rolar a tela e clicar. Sergey Lozhkin, especialista em segurança da Kaspersky Lab, explicou o tamanho do problema: Essa coleção pode virar uma lista de emails e senhas: tudo o que precisam fazer é criar um software simples para checar se as senhas estão funcionando.

“As consequências do acesso à conta podem variar de phishing muito produtivo, pois os criminosos podem enviar emails infectados para contatos da vítima, até ataques projetados para roubar toda a identidade digital ou dinheiro da vítima ou comprometer os dados da rede social”. Como se proteger Para se proteger da brecha, o usuário pode seguir algumas dicas.

– Verifique se seu email e senha foram expostos acessando o Have I Been Pwned – Se teve alguma informação exposta, mude a senha das suas contas. Considere também sempre mudar de tempos em tempos. – Use senhas fortes para contas mais importantes ou confidenciais (como internet banking ou redes sociais) – Considere usar um gerenciador de senhas – Ative a autenticação de dois fatores sempre que possível nos serviços.

 

Continuar leitura...

Destaque HOME

O saxofone de Débora Simon faz a gente chorar também

mm

Publicado

em

Eu não sabia que as orquídeas faziam a gente chorar tanto.

Duas delas estavam suspensas em um jardim de inverno, logo a minha frente, a outra escolheu o púlpito para mostrar a minha família que ela era a anfitriã naquele início de noite de sábado de verão.

Com teclas, cordas e metais os instrumentistas arejavam as nobres almas que ali estiveram para, juntamente comigo, agradecer e glorificar. Pena que a bela saxofonista Débora Simon chegou quase em cima da hora e não pode, por sensatez, integrar aquele grupo que coordenou os louvores e embalou os sentimentos mais profundo de amor a Deus.

Na plateia estavam também Cíntia e Claudia, Rosângela, Ingrid e Marivaldo, Júlio e Zezé, Sandra, Lohana, Thathira e Bento e outras pessoas ilustres, as quais somente naquela oportunidade tive a honra de conhecer. Priscila, Patrícia e Fernanda, Amy, Dona Preta, Fábio e Mickael foram alguns de muitos que não puderam se fazer presentes naquele momento inesquecível.

Um painel no alto projetava a inscrição “Culto de agradecimento a Deus pela formatura de Lohana”. Minha filha havia se formado em Medicina Veterinária pela UESC e, depois das orquídeas aquele painel foi a imagem mais bela que vi nas dependências da Igreja Cristã Maranata, do bairro Cidade Nova, em Ilhéus.

Mas, admitamos, mais bela do que aquela recepção foram as sábias palavras do pastor Valtemir, que proferiu uma mensagem de fé, enaltecendo a excelência do conhecimento. “O dinheiro pode representar uma certa proteção, mas a grande vantagem da sabedoria é que preserva a vida”, enfatizou aquele homem de Deus, depois de ter lido as palavras de Salomão, imortalizadas em Eclesiastes.

Depois dele o pastor José Raimundo lembrou desde o primeiro momento que a minha filha foi acolhida pelos irmãos ilheenses e fez um breve relato da passagem daquela serva do Deus vivo pela cidade de Jorge Amado, em busca do conhecimento.

No dia seguinte, no apartamento onde fiquei hospedado, a pedido de minha família, a ilustre saxofonista – aquela que chegou para o culto quase em cima da hora -, no sofá da sala tocou alguns clássicos da música gospel, como “Grandioso és Tu”, do sueco Carl Gustaf Boberg e “Cem ovelhas”, do mexicano Juan Romero. Foi aí que pude perceber que, como as orquídeas, o saxofone às vezes  faz a gente chorar também.

[Crônica: Edelvânio Pinheiro. Foto: Saxofone de Débora Simon]

 

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA