Connect with us

Entretenimento

Ao sentir enjoo no carro seu cérebro acha que você está sendo envenenado

Publicado

em

Compartilhe

A cena é famosa: você está tranquilamente fazendo uma viagem de carro, mas, do nada, começa a sentir um enjoo e passa mal. A situação, pela qual muita gente passa, pode ter uma explicação bem curiosa: o seu cérebro reage ao movimento em automóvel da mesma forma que agiria contra um veneno.

A explicação é do neurocientista Dean Burnett, autor do livro ‘Idiot Brain: What Your Head Is Really Up To’ (‘Cérebro Idiota: o que realmente ocorre na sua cabeça’, em tradução livre).

Mas por que seu cérebro se defende assim?

Primeiramente, porque os humanos inventaram de viajar de carros, ônibus ou barcos recentemente e nosso corpo ainda não está totalmente adaptado para essas experiências.

Durante essas viagens, nosso cérebro entende que estamos parados – e, bom, nosso corpo não está se movendo. Ao mesmo tempo os sensores de balanço do ouvido contam para o cérebro que estamos nos movendo a uma certa velocidade.

A confusão cerebral é a consequência óbvia e provoca o famoso enjoo.

Burnett explica assim:

“O cérebro fica confuso e não sabe o que está acontecendo, então ficamos enjoados por precaução. Temos o enjoo de movimento, porque nosso cérebro está constantemente preocupado em ser envenenado”.

Olhe pela janela

Muitas vezes a sensação de enjoo é aliviada quando olhamos para a janela, reparou?

Isto também tem explicação: o cérebro fica mais convencido de que você, de fato, está em movimento e que está tudo bem.

Sendo assim, ler um livro ou um mapa no carro em movimento, por exemplo, pode piorar a confusão cerebral e reforçar a ideia de que você está parado apesar da velocidade registrada pelo ouvido.

Mas por que só alguns sentem?

Isso a ciência ainda não conseguiu entender, mas provavelmente é só a teoria da evolução agindo por conta própria, como sempre. Ou seja, algumas pessoas já estão mais adaptadas que outras para essa nova realidade. [Do UOL, em São Paulo]

Continue Reading
Deixe seu comentário

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *