Connect with us

Destaque HOME

Após denúncia de vereador Ministério Público instaura inquérito em Itanhém

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

Compartilhe

O promotor Fábio Fernandes Corrêa instaurou, nesta quarta-feira (20), inquérito civil público para apurar denúncia contra a administração da prefeita de Itanhém, Zulma Pinheiro (MDB), formulada pelo vereador André Correia (PHS) e protocolada na manhã desta terça-feira (19).

“O promotor me informou que instaurou hoje [quarta-feira] o inquérito civil a respeito da denúncia”, disse André Correia ao Água Preta News.

Segundo a denúncia, um supermercado, que estaria ligada ao cunhado de Newton Pinheiro, “já recebeu mais de um milhão da prefeitura entre 2017 e 2018. Newton é irmão da prefeita e ocupa duas importantes secretarias municipais.

O vereador apresentou ao Ministério Público “documentação comprobatória dos pagamentos da empresa Lourival Lopes Souza”, que estão no diário oficial da prefeitura.

André Correia relata na denúncia que a empresa está localizada no mesmo endereço do Supermercado Apoio”, na Praça da Matriz, no distrito de Ibirajá e possui também o nome ‘Apoio’ como marca de fantasia. Relata ainda que esse supermercado “há mais de 15 anos pertence a Cristiano Alves”, que é o cunhado do irmão da prefeita.

Cristiano Alves é o mesmo que, no início da administração de Zulma Pinheiro foi nomeado chefe do Departamento de Tributação do Município e que mais tarde foi exonerado da função. O vereador acredita que tudo não passou de uma manobra “para que o comércio dele passasse a vender para a prefeitura”.

Lourival Lopes Souza, ainda de acordo com a denúncia protocolada no MP, não passa de “um mero funcionário do Supermercado Apoio e a empresa em seu nome está sendo usada para beneficiar o cunhado do irmão da prefeita.

André Correia solicitou ao MP que “peça cópias de todos os contratos sociais da empresa Lourival Lopes Souza e suas alterações, bem como cópias das licitações da referida empresa de 2017 a 2018, com a finalidade de comparar preços dos produtos com as empresas concorrentes na época e os valores reais”. O vereador solicitou ainda “o extrato de fornecedor da empresa e extrato da conta na qual foram efetuados todos os pagamentos” para que sejam diferenciadas verbas próprias e federais.

FOTOS: Promotor Fábio Fernandes (Teixeira News) e vereador André Correia.