Connect with us

Destaque HOME

Biblioteca Comunitária e a Lei Aldir Blanc em Itanhém, berço de artistas

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

Compartilhe

 

Itanhém sempre foi um berço de artistas de todos os tipos e a essa rica cultura nós tivemos o privilégio de possuir as duas únicas editoras do extremo sul da Bahia.

O Grupo Editorial Ferro, a Poesias Escolhidas Editora de Rodrigo Canela da Fernanda Lúcia já publicaram mais de 9.000 escritores de 17 estados do Brasil e outros 12 países no mundo e ficam localizadas em Ibirajá.

O sucesso foi tanto que tanto o Governo Federal da Bahia quanto o Governo Federal confirmando o seu esforço em prol das artes, da cultura e da literatura desde 2014, reconheceram a Biblioteca Comunitária de Ibirajá Antônio Canela como um dos principais espaços culturais de Itanhém.

A Biblioteca Comunitária empresta livros gratuitamente e promove a leitura, a escrita e a transmissão de filmes com debates sobre os temas que são apresentados no roteiro, mas está fechada desde o reconhecimento do estado de calamidade pública no Brasil em decorrência da pandemia do coronavírus.

Mas eles não estão parados. Longe disso.

“Durante a pandemia, nossas forças estiveram voltadas para organizar a comunidade buscando socorrer aqueles que foram mais afetados pelo fechamento dos postos de trabalho. Aqui na Biblioteca, nós fizemos o cadastramento de aproximadamente 600 pessoas para receberem o Auxílio Emergencial do Governo Federal”, diz Fernanda.

Além disso, eles se esforçaram para organizar e reunir os artistas do município para aproveitar os Recursos Federais da Lei Aldir Blanc. Pelo desempenho deles, 14 agentes, instituições e espaços culturais dividiram entre si R$164.680,83 (cento e sessenta e quatro mil, seiscentos e oitenta reais e oitenta e três) na área de escultura, dança fotografia, artes plásticas e literatura, é claro.

O concurso cultural “Minha Melhor História” publicará gratuitamente cinco livros com os temas “Folclore de Itanhém”, “Histórias com Animais”, “O Melhor Dia de Todos”, “O Rio e Eu” e “Todas as Infâncias”.

Toda a comunidade do município é bem-vinda, incluindo crianças de todas as idades, adolescentes, jovens, adultos e idosos.

Aqueles que não puderem escrever os seus textos poderão gravar um áudio contando as suas histórias para serem incluídas nos livros.

A participação é totalmente gratuita e todos os aprovados receberão de brinde um exemplar do livro em que participar.

É uma grande oportunidade para que os moradores de Itanhém possam escolher o seu tema preferido e contar a sua melhor história para publicar o seu primeiro livro gratuitamente.

“Itanhém terá a oportunidade de incluir de 250 a 500 novos autores no projeto. Esperamos muito a participação de pessoas idosas porque queremos preservar a memória do município nesses livros”, afirmou Canela.

As inscrições serão realizadas aqui e é preciso adicionar no WhatsApp o Rodrigo (http://wa.me/5531986436689) e a Fernanda (http://wa.me/5531989185074) para serem informados dos detalhes da produção.

A ilustração das capas será feita pelo ilustrador, artista plástico e escultor Políbio José, que é filho desta terra. [Por Rodrigo Canela]