Connect with us

News

Câmara de Itanhém: Afinal, quem está na presidência neste momento?

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

A população itanheense ficou sem entender o que está verdadeiramente acontecendo na Câmara Municipal de Itanhém. A maior dúvida é se houve ou não acordo político e manobras jurídicas para manter Sasdelli Resende à frente do Legislativo Municipal.

Da primeira decisão da Justiça, no último dia 3, que anulou a eleição que elegeu a mesa diretora para o biênio 2019/2020, até o momento, surgiu muita coisa, até áudio do vereador mais velho, Ronaldo Correia, que assumiria a presidência interinamente, dizendo que não aceita mais cachorrada.

Na última quarta-feira (17), o desembargador José Cícero Landin Neto, da Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia – estranhamente a pedido do vereador Ronaldo Correia (PC do B) – deferiu liminar para atribuir efeito suspensivo à apelação interposta contra sentença proferida num mandato de segurança, que está em trâmite na comarca de Itanhém.

Com a decisão do desembargador foi suspensa a sentença do juiz remoto da comarca de Eunápolis, Otaviano Andrade de Souza Sobrinho – que havia determinado a anulação da eleição da mesa diretora – e Sasdelli Resende, portanto, pelo menos por enquanto, continua à frente da presidência.

Na mesma quarta-feira, depois que Sasdelli foi citado da primeira decisão da Justiça, Ronaldo Correia convocou reunião extraordinária para o dia 22, cuja pauta seria a definição de data para a realização de nova eleição da mesa diretora, em obediência à determinação do juiz de Eunápolis.

Áudio

Antes, no dia 11, Ronaldo Correia, que foi presidente do Legislativo no biênio passado, em um áudio que vazou nas redes sociais, defendeu uma nova eleição, da forma como, inicialmente, a Justiça havia determinado. O vereador mandou o advogado da Câmara, Jônathas Bahia, retirar qualquer recurso que por ventura havia dado entrada.

Ronaldo chegou a ser áspero com o advogado.

“Eu não quero mais cachorrada, eu quero que decida isso logo de uma vez por todas pra vida de todo mundo andar”, disse, mesmo não tendo ainda assumido a presidência interinamente naquela ocasião.

No dia seguinte após o áudio, entretanto, muito provavelmente a mando de Sasdelli Resende, o advogado Jônathas Bahia passou a procuração que tem da Câmara para Allan Oliveira Lima, advogado da cidade de Salvador, para o fim específico de interpor pedido de suspensão do mandato de segurança que, na prática, havia afastado Sasdelli da presidência.

Também no dia 12, Ronaldo Correia, através do advogado Gustavo Henrique Bahia Teixeira – que coincidentemente é irmão do advogado da Câmara -, requereu o prosseguimento do processo.

Até o momento Ronaldo Correia nem Sasdelli Resende se pronunciaram sobre o assunto.

Ronaldo Correia chegou a convocar reunião extraordinária.