Connect with us

Destaque HOME

Deem a Sasdelli o que é dele, como a César o que é de César!

mm

Publicado

em

Por diversas vezes criticamos as atitudes politicamente mesquinhas do presidente da Câmara de Itanhém, mas, neste momento, sejamos justos e vamos dar a Sasdelli Resende (PSDB) o que é dele.

Um vídeo gravado pelo próprio Sasdelli, que circulou nas redes sociais nesta segunda-feira (25), deu muito o que falar, inclusive virou objeto de discussão na reunião ordinária do Legislativo, na noite de ontem (25). Nele, o vereador agradece à prefeita Zulma Pinheiro (MDB) pelo início da pavimentação com blocos sextavados de ruas do bairro Grinaldo Medeiros, do qual Sasdelli é morador.

A verba para o calçamento daquele logradouro foi conseguida a pedido dos vereadores Audrey Correia (PR) e Ronaldo Correia (PC do B), antes das últimas eleições, pelo deputado Claudio Cajado (PP).  Por que, então, Sasdelli publicaria vídeo agradecendo por uma obra que ele nada tem a ver?

Claro que ele tem a ver com a obra sim e, muito a ver, por sinal.

No dia 22 de março de 2017, quando nem se imaginava de onde sairia o recurso para aquele calçamento, Sasdelli Resende apresentou à Câmara Municipal uma indicação – a de nº 19/2017 – solicitando a pavimentação de oito ruas desse bairro.

Tudo bem que a verba é muito importante e que sem ela seria quase impossível que uma administração patética e descomprometida com a municipalidade como a atual gestão reunisse tanto dinheiro para fazê-la. Mas verdade seja dita: o vereador que em menos de três meses de seu mandato demonstrou preocupação com a melhoria da mobilidade do bairro Grinaldo Medeiros foi Sasdelli Resende. Aliás, esta não foi a primeira ação dele na luta pela melhoria daquele bairro. Não cabe aqui enumerar essas ações porque o propósito deste texto não é fazer publicidade para o vereador e sim esclarecer, segundo a nossa opinião, os fatos.

É bom que se esclareça também que, no asfaltamento de algumas ruas da cidade de Itanhém, a situação se deu de forma inversa. A indicação na Câmara Municipal foi feita pelos vereadores Audrey Correia e Ronaldo Correia, mas, a verba do governo do Estado só chegou graças à interferência do deputado Marcelo Nilo (PSB), que, por sua vez, atendeu um pedido da prefeita e do vereador Sasdelli Resende. Eles estiveram em Salvador, juntamente com o secretário da Educação e irmão da prefeita, Álvaro Pinheiro, fazendo a solicitação ao parlamentar.

Engraçado é que, no dia 14 de agosto do ano passado, quando se deu início ao asfaltamento das ruas, este jornalista não ouviu dizer que Sasdelli Resende havia dado qualquer tipo de chilique, pelo contrário, soltou foguete e ficou bajulando a prefeita e seus irmãos nas redes sociais pela conquista, mesmo tendo sido ele quem ajudou a buscar a verba e mesmo não tendo sido ele o autor da indicação na Câmara.

Portanto, deem a Sasdelli o que é dele, como a César o que é de César! Papo encerrado e não se fala mais nisso, por favor!

Destaque HOME

Oficial e professor, Raimundo Magalhães publica livro e será homenageado pela ATL

mm

Publicado

em

[Por Edelvânio Pinheiro] O tenente-coronel PM/BA Raimundo Magalhães está publicando o livro “Gestão participativa e polícia comunitária”, que é fruto da sua dissertação de mestrado defendida em 2014 na Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O autor, que também é graduado em direito e atualmente cursa doutorado na Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), leciona Direito na Faculdade Pitágoras de Teixeira de Freitas desde 2015. De 2016 a 2019, respondeu pela direção do Colégio da Polícia Militar (CPM) em Teixeira de Freitas.

Magalhães foi promovido a 2º tenente em 1985 e, dois anos depois, a 1º tenente. A seguir, foi ascendendo na Corporação – capitão (1996), major (2006) – até chegar a tenente-coronel (2017).

A publicação de “Gestão participativa e polícia comunitária”, que sai com o selo editorial da PerSe, se insere nas grandes conquistas desse soteropolitano que, em 1998, trocou Salvador pelo extremo sul da Bahia. As marcas do trabalho sério e comprometido dele estão espalhadas por cidades da região como Teixeira de Freitas, Nova Viçosa, Mucuri, Porto Seguro e Itamaraju.

“Um homem deve ser medido pelas contribuições que foi capaz de produzir em prol do bem-estar de todos. E Magalhães o fez como comandante militar e como civil, na condição de professor universitário, por exemplo”, pontuou Almir Zarfeg, que cuidou da edição da obra de estreia do autor.

Raimundo Magalhães, aliás, será homenageado no evento solene da Academia Teixeirense de Letras (ATL) agendado para a noite do dia 5 de dezembro, na Câmara Municipal de Teixeira de Freitas.

Outros autores teixeirenses e regionais, com obras também editadas em 2019, serão homenageados: Athylla Borborema, Carla Alves, Carlos Mensitieri, Elias Botelho, Enelita Freitas, Erivan Santana, Juarez Ferreira Leite, Maurício de Novais, Raimundo Magalhães, Val Bernardino, Wilton Soares e Katrine Carvalho.

“Essa é a maneira que encontramos de valorizar a grande conquista que é editar um livro no Brasil. Meus parabéns a todos os autores”, comemorou Zarfeg, que é presidente da ATL.

Os interessados já podem adquirir a obra “Gestão participativa e polícia comunitária” aqui.

Foto de capa: Tenente-coronel Raimundo Magalhães durante evento solene da ATL

Continuar leitura...

Destaque HOME

Reconheço que preciso ‘desinventar’ o missionário beija-flor

mm

Publicado

em

Um áudio do missionário Marcos dos Santos deixou em polvorosa as redes sociais na manhã desta quinta-feira (28).

Tantas opiniões, muitas delas calorosas e impiedosas, mostraram que ninguém se esqueceu do dia em que, eufórico, batizei Marcos de “missionário beija-flor”. Eufórico porque, diante de um mundo que não oferece bondades, o altruísmo passa a ser digno de nota, digno de crônica e digno também da euforia de um jornalista, digamos, até experiente como eu que, hoje, assim como muita gente, recebeu com surpresa as declarações do missionário.

A crônica do missionário que o caro leitor pode reler aqui foi inspirada na parábola de um beija-flor, que insistia em salvar uma floresta em chamas, levando água no bico, ou seja, com seus próprios meios, apesar da sua fragilidade. Como se sabe, a parábola é um jeito poderoso de nos ensinar sobre os acontecimentos existenciais.

Foi assim que retratamos o trabalho solidário do missionário Marcos que, até então, parecia existir sem nenhum interesse político, sem o enfadonho discurso da velha política, aquela que troca comida por voto. Hoje, no entanto, o missionário, em seu malfadado áudio, desmentiu nossas expectativas e a ele mesmo, quando afirmou alto e bom som, que faz o seu discurso político em favor da prefeita Zulma Pinheiro em todas as casas que ele deixa uma feirinha, remédio ou uma botija de gás.

Inegável que muitas pessoas carentes, vítimas do descompromisso social desta administração, através do missionário solidário, já dormiu sem o barulho da fome e sem os gritos da dor, mas essas mesmas pessoas,  junto com a comida ou o remédio, precisaram engolir o aborrecido recado do missionário político que recebe salário da Prefeitura de Itanhém para fingir que está fazendo assistência quando, na verdade, está engordando ovelhinhas para uma família de lobos que, apesar de já derrotada pela opinião pública, insiste em não aceitar a alternância de poder, um dos mais belos gestos do princípio democrático.

A salada que o missionário insiste em fazer com política e religião, demonstrada claramente em seu áudio, parece meio indigesta. Um questionamento de uma usuária das redes sociais chamou a atenção deste jornalista: “Antes dele entrar na prefeitura [na política], ele já tá jogando sujo, imagina quando ele cair lá dentro?”.

Não é de hoje que, em Itanhém, pessoas necessitadas buscam recursos em grupos de WahtsApp para conseguir atendimento médico, remédios e comida. Já exausta dessa situação, muita gente também tem usado as redes sociais para fazer o papel do beija-flor, não daquele que sai às casas da população carente entregando feira e pedindo voto, mas daquele que luta para renovar a política sem os terríveis monstros da mentira, da desonestidade e da corrupção.

Mas parece que o fogaréu da floresta continua a arder sobre todos nós. Ainda bem que a internet é como o vento que não só atiça as fogueiras, mas também cuida de apagar as pequenas labaredas e sempre será implacável com quem quer promover políticos inescrupulosos, que enganam e não se importam com o fortalecimento do comércio local, com a qualidade da educação, com o esgoto a céu aberto que atormenta a vida dos moradores dos bairros mais afastados, com o atoleiro das estradas, com o isolamento de pontes, com a falta de médicos, dentistas e remédio nos postos, com hospital que verdadeiramente funcione e com a mãe desesperada que, sem casa pra morar, sobrevive com seus dois ou três filhos, com R$ 120 do bolsa-família do governo federal. Pessoas que desejam servir a dois senhores, como lamentavelmente se mostrou o missionário, não se dão bem na política e muitos menos nas redes sociais, cujos diálogos são transmitidos numa velocidade estonteante.

Isso serve para o itanheense refletir que a mudança deve partir dele mesmo e ensinar que a prática da bondade deve estar em um patamar bem acima de qualquer que seja o interesse, inclusive o interesse político. Serve também para lembrar aos religiosos que o amor ao próximo não pode ser trocado por nada, muito menos por voto. E se alguém desejar praticar esse amor de modo falso e leviano, que não se esqueça de que Deus tudo vê.

Permitam, meus nobres leitores, me lembrar da bela canção de Chico Buarque:

“Você que inventou a tristeza, ora tenha a fineza de ‘desinventar’…”

Nesta quinta-feira, pelo grande respeito que tenho àqueles que leem meus textos há 25 anos, eu tenho a fineza de desinventar o beija-flor que vinculei ao missionário Marcos, mas, se por acaso esse beija-flor já estiver imortalizado, eu continuo com a canção de Chico: “Apesar de você, amanhã há de ser outro dia”.

Continuar leitura...

Destaque HOME

Jovem está desaparecido em Itanhém há 3 dias

mm

Publicado

em

Um jovem de 26 anos está desaparecido há três dias na cidade de Itanhém, de acordo com familiares. João Carlos Cunha saiu de sua casa, na Rua Nova Olinda, no bairro São João, nesta segunda feira (25), às 8h.

De acordo com a mãe dele, Eliene Italiana da Cunha, o jovem, que veste camisa preta e short com listas azuis, saiu em sua motocicleta, uma Honda CG 150 Titan ESD, cor preta, placa OUY 4455, do município de Itanhém.

Qualquer informação pode ser passada para a polícia ou para a família no celular (73) 98866-9228.

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA