Connect with us

News

Itanheense que vive na Itália diz que cidades estão desertas por conta do coronavírus

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

O governo italiano encerrou  atividades comerciais e de varejo, com exceção de estabelecimentos de necessidades básicas para proteger a população do coronavírus. A Itália é o país mais afetado do mundo pelo vírus depois da China.

Todos os comércios do país, exceto farmácias e mercados que vendem alimentos, devem permanecer fechados até o próximo dia 25 de março. Também, locais que não conseguirem garantir um metro de distância entre clientes não poderão abrir. Com isso, bares, casas noturnas, lojas e salões de beleza, por exemplo, ficarão fechados. Serviço de transporte continua em funcionamento, assim como bancos, correios e seguradoras. Fábricas podem funcionar, desde que garantam condições de segurança.

De acordo com o portal de notícias valor.globo.com o número de casos na Itália passa de 12 mil e o país já registra 827 mortes provocadas pela doença.

O Água Preta News entrevistou a itanheense Dinália Paiva, que há 19 anos mora na Itália. Ela disse que neste momento o espaço para se viver é praticamente a própria casa. Ela mora na parte norte do país, que está a 200 km da Lombardia, que tem Milão como capital e onde há maior número de infectados.

“As cidades estão desertas e estamos vivendo em casa sem poder sair, apenas em casos de extrema necessidade e uma única pessoa da família sai com autorização do governo”, contou.

Para ela a sensação é a de que o país vive uma guerra bacteriológica.

“A sensação que se tem é que estamos vivendo uma guerra bacteriológica, com restrição de saí da própria habitação, sem o direito de ir e vir”, explicou.

Quanto aos familiares brasileiros ela disse que, quando relata como ela e sua família estão sendo obrigada a viver na Itália neste momento, tem a sensação de que eles ainda não entenderam de que se trata de uma pandemia, como admitiu a Organização Mundial de Saúde.

“Vejo muita tranquilidade de um modo geral nos meus familiares daí, mas, na verdade, se trata de uma situação muito grave e não simplesmente de uma gripe qualquer”, finalizou.

Brasil

No Brasil o Ministério da Saúde definiu regras de isolamento e quarentena por conta do coronavírus. O isolamento terá prazo de 14 dias prorrogáveis, e a quarentena, de até 40 dias, que também podem ser estendidos.

O governo americano suspendeu viagens da Europa aos EUA em razão da pandemia. A proibição terá início na  próxima sexta-feira (13) e será válida por 30 dias; exceção será aberta para o Reino Unido. Restrições não se aplicam a quem tem residência permanente nos EUA e a parentes imediatos de cidadãos norte-americanos.

FOTO: Dinália Paiva fotografou Cuneo, cidade onde mora, na manhã desta quinta-feira, para mostrar como as ruas estão desertas.