Connect with us

Destaque HOME

Mildson Medeiros impõe vitória esmagadora sobre a prefeita e seus irmãos. Vantagem foi de 3.481 votos

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

Compartilhe

 

Mildson Medeiros (PSD) impôs uma vitória esmagadora sobre a prefeita Zulma Pinheiro e seus irmãos Álvaro Pinheiro e Newton Pinheiro, neste domingo (15). A família da chefe do Executivo itanheense conduz a administração do município de Itanhém com mãos de ferro, prepotência, irresponsabilidade política e muita arrogância.

Com 62,99% dos votos válidos em seu favor, Mildson teve 7.333 votos e Zulma Pinheiro (MDB), 3.852 votos (33,09%). Saulo da Mecanon (Solidariedade) ficou com 457 votos (3,93%).

A diferença de votos entre Mildson e Zulma é de 3.481 votos, uma vantagem que pode ter sido a maior já vista na história política recente do município.

De 16 mil e 231 eleitores inscritos, 12.306 eleitores votaram. Desse total, 11.642 votos (94,60%) foram considerados válidos. Brancos somaram 89 eleitores (0,72%), nulos 575 (4,67%) e 3.925 (24,18%) não compareceram.

O resultado das eleições demonstra que a população do município de Itanhém, inclusive das vilas, distritos e zona rural está profundamente decepcionada com a prefeita Zulma Pinheiro. Ela conseguiu, nesses quatro anos de sua administração, a proeza de fazer com que até os eleitores fanáticos de seu pai – o ex-prefeito por dois mandatos, Manoel Batista dos Santos, o Neco Batista – perdessem a esperança pela continuidade do sucesso político da família dela.

Comandada pelos irmãos, que ocupam pelo menos três importantes secretarias, a administração municipal, no geral, só reuniu fracassos.

A saúde e a assistência social foram os temas mais abordados durante as três campanhas que Zulma Pinheiro disputou. Em duas ocasiões ela foi derrotada por Milton Ferreira Guimarães, o Bentivi (PSB). Em 2016, com uma quantidade de voto considerada pequena, derrotou Mildson Medeiros.

Durante quatro anos Zulma Pinheiro não conseguiu ser a “mãe da saúde e da assistência social”, como se propôs sê-lo antes de ocupar o maior cargo político de Itanhém.