Connect with us

News

Nem Mendes quer saber porque Renato Correia tem livre acesso a todas as repartições da Câmara de Itanhém

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

O vereador Whindson Mendes, o Nem Mendes (PP), durante a sessão ordinária desta segunda-feira (2), quis saber do presidente da Câmara de Itanhém, Sasdelli Resende (PSDB), porque o empresário Renato Correia tem livre acesso a todas as repartições do Legislativo Municipal.

VEJA também:

Áudio de irmão de ex-presidente da Câmara de Itanhém vaza e vereadores estão preocupados se assinaturas foram falsificadas

Vereador que teve seu nome citado em áudio que vazou diz que documento já desapareceu da Câmara de Itanhém

Preocupados com assinaturas que podem ter sido falsificadas vereadores cobram atitude do presidente da Câmara de Itanhém

Continua depois da publicidade:

Renato, que é irmão do ex-presidente e atual vereador Ronaldo Correia (PC do B), em um áudio que vazou nas redes sociais, disse que era fácil recortar a assinatura de Nem Mendes e de Audrey Correia (PR) para publicar no Diário Oficial da Câmara.

“Eu não estava na reunião passada porque estava em Salvador e foi o dia que surgiu o áudio nas redes sociais”, explicou Nem Mendes. “Eu queria perguntar ao presidente a respeito da pessoa de Renato Correia, se ele é funcionário da Casa”, indagou. “Eu não vejo ele na folha de pagamento [então] porque ele tem acesso a todas as salas, ele tem acesso a todos os computadores, ele tem acesso à conta da Câmara, ele entra e sai a hora que quer nesta Casa”, afirmou. “A gente fica sem saber o que o senhor Renato é nesta Casa, ele participa de tudo e, ao mesmo tempo, solta um áudio na situação que a gente ouviu”, questionou.

Nem Mendes quer entender por qual motivo Renato Correia queria ou falsificou sua assinatura em algum documento que foi ou seria publicado no Diário Oficial da Câmara.

“Eu nunca esperava isso dessa pessoa, de querer usar meu nome e do colega Audrey pra falar que vai falsificar minha assinatura”, surpreendeu-se. “Por que falsificar minha assinatura?”, questionou.

E cobrou uma atitude da presidência da Câmara de Vereadores.

“Já se passaram oito dias e até agora eu não vi tomar nenhuma decisão, até agora nenhuma ligação da Casa pra poder me dar uma satisfação, se a Casa está tomando alguma atitude por estarem usando meu nome, que vai falsificar minha assinatura”, concluiu.