Connect with us

Sem categoria

Obrigada a entender que ‘a praça é do povo’ prefeita dá prosseguimento ao projeto de Bentivi de reconstrução da Praça da Liberdade

mm

Publicado

em

Muita polêmica se criou em torno da reconstrução da Praça da Liberdade, no centro da cidade de Itanhém. Idealizada pelo ex-prefeito Milton Ferreira Guimarães, o Bentivi (PSB), no último ano de seus dois mandatos consecutivos (2009 a 2016), a reestruturação daquele logradouro rendeu críticas para o político, principalmente porque, no mandato seguinte, a população elegeu, com mais de 52% dos votos válidos, a sua rival Zulma Pinheiro (MDB).

As críticas feitas a Bentivi estão mais relacionadas às questões bairristas do povo itanheense, pelo fato daquela praça histórica ter se transformado em um cenário sombrio de junho de 2016 até os dias atuais. Portanto, a iniciativa do ex-prefeito de tornar a Praça da Liberdade um espaço moderno e acessível a todos é, apesar de todos os transtornos, elogiada pela maioria da população.

Desde 2016 o cenário da histórica Praça da Liberdade é sombrio.

Mas, por que Bentivi não conseguiu terminar o projeto de reconstrução da Praça da Liberdade? E, por qual razão a atual prefeita, Zulma Pinheiro, de imediato, não prosseguiu com o projeto de Bentivi?

Itanhém foi emancipado em 1958. A Praça da Liberdade só foi construída na segunda gestão, que durou de 1962 a 1966, no mandato do prefeito João Farias Filho, o Jota Pires. De lá pra cá a praça foi por diversas vezes reformada e teve a sua estrutura inicial quase que totalmente alterada.

Jota Pires é considerado por muitos, principalmente pelos mais antigos, o JK de Itanhém, em referência a Juscelino Kubitschek, que ocupou a Presidência da República entre 1956 e 1961, adotando estratégias e políticas que tinham como objetivo central expandir a economia brasileira. 

Mas coube ao primeiro gestor de Itanhém, Sady Teixeira Lisboa, avô do atual vice-prefeito André Lisboa, preparar toda a estrutura e legalização do município para Jota Pires, que é considerado um dos bons políticos da terra de Água Preta, construir as primeiras obras.

FOTO/arquivo de Airam Ribeiro. Praça da Liberdade.

Além da Praça da Liberdade, entre outras, Jota Pires construiu o Mercado Municipal, na Praça Otávio Mangabeira, onde hoje está instalado o Terminal Rodoviário e o antigo Colégio São Bernardo. Além disso, ele organizou na cidade algumas questões de ordem social, muito necessárias naquela ocasião, como a transferência da zona de baixo meretrício, naquela época conhecida como “Cheira Faca”, da Rua Belo Horizonte para a Rua Nova Venécia, ambos os logradouros localizados no Bairro São João.

Não são poucos os itanheenses da época de infância e adolescência, que têm histórias para contar da Praça da Liberdade onde, antes da emancipação do município, funcionava o Mercado Municipal. Desde os primeiros casamentos que surgiram a partir de namoros iniciados na praça, aos gols do fantástico exibidos naquela época no principal programa dominical de jornalismo da Globo, até os dias atuais, quando grupos de amigos se reúnem nos finais de semana para se divertir.

FOTO/arquivo de Airam Ribeiro: Antes da Praça da Liberdade no local funcionava o Mercado Municipal, instalado numa espécie de barracão.

Foi através de uma emenda do deputado federal Mário Negromonte, que Bentivi conseguiu a verba para reconstruir a Praça da Liberdade. Antes, porém, o então prefeito determinou a realização de audiência pública com moradores da praça e de ruas próximas, para o acolhimento de sugestões para o seu projeto. Foi a partir dessas sugestões que se definiu que a Praça da Liberdade deveria ser moderna e acessível a toda a população, logo, com pavimentação em blocos especiais, instalações elétricas e hidrossanitárias, paisagismo e até quiosque e pergolado, uma espécie de abrigo em jardins, feito de duas séries de colunas paralelas.

O projeto é de 2014, mas, apesar das insistentes cobranças de Bentivi e de sua equipe a liberação dos valores demorou de acontecer, em razão da situação política e econômica porque passava o país, cuja crise, como se sabe, culminou com o impeachment da presidente Dilma Rousself (PT).

Se tudo ocorresse dentro da normalidade a obra seria concluída entre 90 e 120 dias. Os valores iniciais foram creditados na conta da prefeitura no dia 23 de março de 2016, mas, naturalmente, demandaria alguns meses para todo o processo licitatório ficar pronto, além da necessidade de reuniões e visitas ao local por parte dos responsáveis pela execução da obra.

Acontece que, passado todo esse tempo de espera, quando foi dada a autorização para iniciar os trabalhos, ocorreram vários contratempos, como longo período de chuva e o lamentável acidente automobilístico com o responsável pela obra, inclusive, com vítima fatal, além do atraso de pagamento por parte Caixa Econômica Federal de serviços que já haviam sido realizados.

Assim, sem nada ter podido fazer, o ex-prefeito, já depois das eleições municipais, foi informado pela empresa que realizava a obra que os serviços seriam paralisados até que a nova gestão reiniciasse a reconstrução.

O valor total da obra é de R$ 250 mil, já incluso a contrapartida do município, devidamente acertada pelo ex-prefeito. Desse total o então prefeito Bentivi recebeu R$ 121 mil e 875, no dia 23 de março de 2016 e, desde esta época, esse valor está na conta da prefeitura. Os outros 50% só serão liberados pela Caixa Econômica quando Zulma Pinheiro recomeçar as obras.

Então, porque a nova prefeita não prosseguiu de imediato, com o projeto de Bentivi?

Não há outra explicação se não picuinha política, associada a uma boa dose de maldade, como bem sabe fazer o grupo político dos Batistas, agora chamado de Pinheiros, em razão do sobrenome da prefeita e de seus irmãos que mandam na administração municipal. Essa mesma picuinha pode muito bem explicar o fato de, até o momento, Zulma Pinheiro não ter dado início às obras que os deputados do Partido Progressista Cláudio Cajado, Ronaldo Carletto e Robinho conseguiram, através de emendas impositivas, para o município de Itanhém.

Desde o início da semana alguns materiais vêm sendo colocados no local, o que parece sinalizar que, depois das intensas críticas na imprensa e nas redes sociais, inclusive com a entrega de um abaixo-assinado às autoridades responsáveis por fiscalizar o Executivo, a prefeita foi obrigada a entender que “a praça é do povo como o céu é do condor”.


FOTO/arquivo de Airam Ribeiro. Praça da Liberdade.

FOTO/arquivo de Airam Ribeiro. Praça da Liberdade.

FOTO/arquivo de Airam Ribeiro. Praça da Liberdade.

Sem categoria

Não, minha gente, Sasdelli Resende não está simulando o próprio enterro

mm

Publicado

em

Absolutamente, pessoal, Sasdelli Resende não está simulando o próprio enterro ou sepultamento.

Como ele é vereador e, por acaso, presidente da mesa diretora da Câmara Municipal, deveria estar em outro lugar e não dentro de uma vala. Como recebe R$ 6 mil por mês para presidir a Casa do Povo, deveria estar cumprindo as funções próprias de um vereador: legislar e fiscalizar as ações do Executivo.

Não, itanheenses, Sasdelli Resende não pretende se cobrir de terra da cabeça aos pés, numa vala de esgoto, em plena via pública do distrito de Batinga, município de Itanhém.

A pergunta que insiste é: se ele não é trabalhador braçal da prefeitura que recebe um salário mínimo por mês, o que ele estaria fazendo ali, na vala, com uma enxada nas mãos?

Insistir é arte nobre: se ele não é trabalhador braçal nem um simulador do próprio sepultamento, então, o que o vereador faz dentro de uma vala de esgoto à luz do dia?

A resposta, minha gente, é bem simples: Sasdelli pretende apenas fazer poses para fotos que, depois, serão publicadas nas redes sociais. Publicadas, curtidas e compartilhadas. Para o bem e para o mal. Para chamar a atenção, para se promover.

É mesmo muito intrigante a postura do vereador Sasdelli: em vez de cuidar do Legislativo, que tem as funções de legislar e fiscalizar o Executivo, ele prefere tirar fotos de posse de uma enxada numa praça, numa rua ou mesmo numa vala. Enfim, prefere aparecer a todo custo.

Aqui para nós: o secretário de Infraestrutura, Newton Pinheiro, ficaria bonito numa foto tirada de uma vala. A prefeita Zulma Pinheiro, também, ficaria com cara de tocadora de obras. Mas nem um nem outra se expõem à publicidade. Preferem agir entre paredes (públicas) ou nos bastidores.

Apenas o vereador Sasdelli Resende adora pagar um mico fotográfico. E ainda consegue ficar feio na foto.

LEIA também:

Sasdelli experimenta o pão que o diabo amassou… com Coca-Cola, é claro!

Presidente da Câmara de Itanhém transforma ‘tapa-buraco’ num momento cinematográfico e cai no ridículo

Continuar leitura...

Sem categoria

Dia das Crianças: Almir Zarfeg dedica “Três letrinhas” a Mia Ellen, que nascerá até o fim de outubro

mm

Publicado

em

O poeta, escritor e jornalista Almir Zarfeg acaba de aprontar uma travessura, no mínimo, interessante. Ele se inspirou em Mia Ellen para escrever “Três letrinhas”.

A novidade é que Mia Ellen, filha do casal Luiz Augusto e Gisele Ellen, vai nascer até o fim de outubro de 2019. Em plena primavera.

“’Três letrinhas’ é meu presentinho mais que especial para Mia”, escreveu Zarfeg no prólogo do livro infantil.

A obra, que sai pela editora PerSe, constitui um diálogo descontraído entre autor e personagem. Ela é formada por três capítulos intitulados com as letras do antropônimo Mia: M, I, A.

A obra ainda apresenta uma 4ª parte chamada “M + i + a = Mia” e um anexo com dois poemas e uma trova dedicados à pequena protagonista.

 “Três letrinhas” será distribuído gratuitamente às creches de Teixeira de Freitas, que será a cidade natal de Mia.

“O livro é um incentivo à leitura e à propagação da literatura. Uma bela e incrível iniciativa do amigo e confrade Zarfeg”, afirmou a advogada e escritora Gisele Ellen, que é titular da Cadeira 23 da Academia Teixeirense de Letras (ATL).

LEIA trova que Zarfeg dedicou a Mia:

Mia virá na primavera

Vestida de luz e cores,

Para encher a atmosfera

De belezura e amores!

FOTO DA CAPA: Gisele Ellen e Luiz Augusto, pais de Mia Ellen.

Continuar leitura...

Sem categoria

VÍDEO: Conheça o luxuoso e aconchegante escritório de Dra. Kerry Anne

mm

Publicado

em

O novo escritórioda advogada Kerry Anne Esteves, que foi inaugurado na cidade de Itanhém no último dia 1º de outubro, tem uma arquitetura moderna, espaço aconchegante e comodidade bem pensados para advogados e clientes.

Localizado no centro da cidade, entre as ruas Augusto Reis e Joaquim Ferreira, o imóvel foi construído pelo engenheiro Fábio Lopes Rodrigues e decorado pela design de interiores Saneia Santana, que planejaram e organizaram detalhadamente os espaços, estabelecendo uma relação estética e funcional muito agradável em todo o ambiente.

A recepção traz um lindo painel com o nome da Dra Kerry Anne Esteves, assentos luxuosos, TV e lavabo. As salas das advogadas, inclusive da Dra Flávia Soares e Dra Moara Braga, além de móveis planejados, dispõem de toda a tecnologia necessária para a execução das atividades advocatícias.

O espaço ainda dispõe de outros banheiros, copa, dois jardins, garagem com espaço para dois carros, câmeras de segurança e um arquivo de documentos de clientes e do próprio escritório.

Veja vídeo:

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA