Connect with us

Destaque HOME

OMS alerta: Criança menor de 3 anos não deve ficar nem um minuto em tablet ou celular

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

[Jessica Krieger/VIX] As crianças da geração atual têm acesso à tecnologia praticamente desde que nasceram. As antigas brincadeiras perderam espaço para jogos de no celular, vídeos no YouTube ou filmes no tablet.

Alarmada pelos efeitos da tecnologia sobre as crianças, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os pais não deixem os filhos usarem aparelhos eletrônicos antes dos dois anos de idade.

Infância na frente da tela

Segundo a OMS, os pais devem limitar o tempo que as crianças passam sem fazer atividade física, a fim de evitar um estilo de vida sedentário desde cedo. É aí que entra a importância do uso consciente das telas de celular ou televisão.

“Comportamentos sedentários, seja usando transporte motorizado em vez de caminhar, assistindo televisão ou jogando videogame, são cada vez mais predominantes e estão associados a problemas de saúde”, explica o guia preparado pela organização.
O relatório aponta que o sono também influencia o bem-estar físico: dormir poucas horas está relacionado ao sobrepeso e à obesidade na infância, além de problemas mentais entre os adolescentes.

Veja a seguir as recomendações da OMS sobre uso de telas e bem-estar físico, de acordo com a idade de seu filho:

Bebês menores de 1 ano

  • Não usar telas
  • Ficar pelo menos 30 minutos por dia de bruços
  • Não passar mais de uma hora seguida em carrinhos ou cadeiras
  • Dormir entre 14 e 17 horas por dia

Crianças entre 1 e 2 anos

  • Não usar telas
  • Fazer 3 horas de atividade física por dia
  • Não passar mais de uma hora seguida em carrinhos ou cadeiras
  • Dormir de 11 a 14 horas por dia, incluindo sonecas

Crianças entre 3 e 4 anos

  • Não passar mais de uma hora por dia na frente de telas
  • Fazer 3 horas de atividade física por dia, uma delas de maior intensidade
  • Não ficar mais de uma hora seguida sentado
  • Dormir de 10 a 13 horas

Mais tempo no celular, mais sedentarismo

crianca com celular 0118 1400x800 0
SURIYACHAN/SHUTTERSTOCK

A Dra. Juana Willumsen, especialista em obesidade infantil e atividade física para crianças, explicou no relatório como os pais devem agir para tirar os filhos do celular: “Temos que fazer com que as crianças voltem a brincar”.

O objetivo é substituir o tempo que as crianças passam na frente de uma tela por brincadeiras mais ativas, que garantam que eles durmam o suficiente.

A OMS não considera uma atividade como “passiva” se a criança estiver, por exemplo, imitando os movimentos de dança de um vídeo ou falando com um parente distante pelo celular.

Dicas da OMS

Se for para ficar parado, melhor ler para a criança, contar histórias, cantar ou fazer quebra-cabeças. Atividades como estas ajudam no desenvolvimento cognitivo dos pequenos.

“O tempo sedentário tem que se tornar tempo de qualidade. Ler um livro com seu filho, por exemplo, pode ajudá-lo a desenvolver suas habilidades linguísticas “, explica Willumsen. “Uma criança que ganha um tablet para ficar quieta e sentada não recebe a mesma coisa”, acrescenta.