Connect with us

Destaque HOME

Os diferentes tipos de vírus da gripe que circulam pelo Brasil

Publicado

em

[Agência Brasil]

Este ano, até 7 de abril, o Brasil contabilizou 286 casos de influenza, comumente conhecida como gripe. Desse total, 117 casos e 16 óbitos foram provocados pelo vírus H1N1, responsável pela pandemia de 2009. Já o H3N2, menos conhecido, registrou, até o momento, 71 casos e 12 mortes no país. Há poucos meses, uma mutação desse mesmo vírus provocou a morte de centenas de pessoas no Hemisfério Norte, sobretudo nos Estados Unidos.

Em entrevista à Agência Brasil, o infectologista e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Renato Kfouri, explicou que a principal característica do vírus influenza é sua capacidade de sofrer pequenas mutações e causar epidemias que atingem entre 10% e 15% da população mundial todos os anos. Para o especialista, entretanto, não há motivo para pânico.

Às vésperas do início da temporada de inverno no Brasil, ele alertou para a importância da vacinação, sobretudo para os que integram os chamados grupos de risco. “Assim que a campanha começar, as pessoas devem procurar a vacina e se proteger antes da entrada da estação do vírus”, explicou.

O Ministério da Saúde informou que a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe deve começar na segunda quinzena deste mês. Idosos com mais de 60 anos, crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas (mulheres com até 45 dias pós-parto), trabalhadores da área de saúde, professores, detentos, profissionais do sistema prisional e indígenas compõem o público-alvo.

Confira os principais trechos da entrevista com o especialista:

Agência Brasil: Quais vírus do tipo influenza circulam no país neste momento?

Renato Kfouri: Existem dois grandes tipos de vírus influenza que acometem humanos: A e B que, por sua vez, possuem diversos subtipos. Eles sofrem pequenas variações todos os anos e é essa capacidade de fazer mutações leves que os faz chegar, no ano seguinte, causando uma epidemia, como se a população não reconhecesse aquilo como uma doença que já teve e acabe adoecendo novamente.

O Brasil é um país continental e, por essa razão, temos variações em relação aos subtipos de influenza que circulam neste momento. Goiânia, por exemplo, abriu a temporada com predomínio de circulação de H1N1. Já em São Paulo, temos casos confirmados e, inclusive, óbitos relacionados ao H3N2. Há, portanto, dentro de um país tão grande quanto o nosso, variações de regiões onde a epidemia anual pode se dar com mais intensidade por um tipo de vírus ou por outro.

Agência Brasil: A exemplo do Hemisfério Norte, teremos, no Brasil, uma situação fora do comum?

Kfouri: A cada ano, a gente experimenta estações de vírus influenza por vezes mais graves, por vezes mais simples. Este ano, ainda estamos começando nossa temporada. Ainda há poucos casos para se chegar à conclusão de que será uma temporada de predomínio de uma ou de outra variante e com que gravidade.

No Hemisfério Norte, o que circulou na última temporada foi um H3N2 que tinha sofrido uma mutação maior em relação à circulação de anos anteriores e foi, talvez, desde a pandemia de 2009, a pior temporada de influenza que o hemisfério e, especialmente, os Estados Unidos vivenciaram. O que não quer dizer que isso vai se dar também aqui na América Latina. As temporadas dependem muito da migração do vírus, das condições climáticas. Só o acompanhamento da evolução desses casos nos permitirá dizer se essa será uma temporada de predomínio de circulação de H1N1 ou de H3N2.

Agência Brasil: Quais as diferenças entre os dois tipos de vírus e qual pode ser considerado mais grave?

Kfouri: Não há diferença clínica ou uma série histórica de infecções mais graves por um tipo de vírus ou por outro. Isso depende dessa variação que comentamos. Um vírus que muda muito tende a ser muito diferente e a trazer infecções mais sérias porque não encontra uma memória de proteção na população por exposições anteriores.

Depende muito do tipo de vírus que vai circular. Se houver predomínio de um H3N2 ou um H1N1 muito diferente do que vem circulando até então, as chances de encontrar uma população ainda não exposta e fazer doenças mais graves é maior. Isso teremos que acompanhar durante a estação.

Agência Brasil: Como fica a vacinação contra a gripe em meio a todo esse cenário?

Kfouri: Temos casos de influenza registrados durante todo o ano no Brasil, mas a grande concentração se dá agora, final do outono e começo do inverno. Por isso, a vacinação é feita exatamente nessa época que precede a estação do vírus. Vamos vacinar no final de abril esperando que, em maio, a população esteja imunizada. Geralmente, de maio a julho é o período de maior circulação do vírus, mas isso é muito variável de ano para ano. Às vezes, começa um pouco mais cedo, às vezes, um pouco mais tarde. Não é uma coisa matemática.

Não há que se ter pânico. Há sim que se vacinar – especialmente aqueles pertencentes a grupos de risco, onde a vulnerabilidade os torna casos com maiores chances de evoluir com gravidade. Assim que a campanha começar, as pessoas devem procurar a vacina e se proteger antes da entrada da estação do vírus. Para os que não pertencem aos grupos de risco e não têm a vacina gratuita, a orientação é procurar os serviços particulares e já se imunizar.

Agência Brasil: Há outros cuidados a serem tomados na prevenção de casos de gripe?

Kfouri: Além da vacinação, as maneiras importantes de prevenção do vírus da gripe incluem a lavagem frequente de mãos; se estiver doente, evitar ambientes aglomerados e o contágio para outras pessoas; usar sempre lenços descartáveis e desprezar esses lenços; cobrir a boca quando tossir com o antebraço, evitando, com isso, a disseminação do vírus; na impossibilidade da utilização de água e sabão, usar o álcool em gel, que tem uma boa ação para limpeza das mãos; crianças devem ser amamentadas e, se possível, frequentar creches mais tardiamente; não se expor ao cigarro, seja de forma ativa ou como fumante passivo, já que a fumaça é um irritante das vias aéreas e facilita a entrada dos vírus. Esses cuidados são muito importantes também para a prevenção da gripe.

Destaque HOME

Veja o que Álvaro respondeu quando questionado sobre gasto de R$ 100 mil reais em publicidade só na educação

Publicado

em

Na reunião da APLB (Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Bahia) com a prefeita Zulma Pinheiro e o irmão dela, secretário da Educação, Álvaro Pinheiro, ocorrida no último dia 4, a vice-coordenadora da APLB, Aurileide Alves da Silva, questionou o secretário sobre os gastos feitos com publicidade.

Constava na planilha de gastos, apresentada pelo secretário, o valor de R$ 100 mil investidos em publicidade e sonorização no ano de 2017, apenas na área da educação.

“No momento desse, em que nós estamos sentados para discutir despesas, a gente ver investimento altíssimo em publicidade”, questionou Aurileide. “A publicidade que tem sido feita, um investimento de R$ 100 mil anualmente, tem sido investido simplesmente para nos atacar”, reclamou. “A gente ver um investimento tão alto que não acrescenta nada para o nosso município, simplesmente denigre a imagem de uma categoria, de alguns profissionais, um investimento de forma desnecessária”, concluiu.

Na verdade, a vice-coordenadora fez referência aos ataques que a emissora de Álvaro Pinheiro vinha fazendo à greve dos professores, mas o secretário explicou que o valor gasto em publicidade não foi investido em sua emissora.

“Essa publicidade é a de anunciar reuniões da educação, trabalhos que a educação está fazendo ou vai fazer, chamamento, é a placa da escola que precisa ser renovada, colocada lá, essa é a publicidade”, explicou Álvaro Pinheiro.

N final da semana passada, o Água Preta News visitou as escolas municipais na cidade de Itanhém e, ao contrário do que disse Álvaro Pinheiro, não há nenhuma placa renovada, mesmo já passados um ano e quatro meses da administração de Zulma Pinheiro. As placas encontradas nas escolas são da época em que Milton Ferreira Guimarães, o Bentivi, era o prefeito do município.

Já que os vereadores do município não tem, de verdade, o hábito de fiscalizar, aguardemos que o secretário, por sua própria vontade, nos revele a mágica de se gastar tanto em placas que ninguém viu e nos convença de que anunciar reuniões em som de rua são necessários gastos altíssimos.

Assim, conclui-se que o governo de Zulma Pinheiro e de seus irmãos está muito longe de ser uma administração espartana, como, naquele dia, o secretário fez questão de enfatizar para os professores presentes à reunião na sede da secretaria. Afinal, austeridade, rigor com a coisa pública e honestidade passam longe dessa gente.

 

 

Continuar leitura...

Destaque HOME

Filhote de porco nasce com característica bizarra em Vereda

Publicado

em

Moradores de Cruzeiro do Sul, município de Vereda, tiveram uma reação de espanto e medo na manhã deste domingo (22), depois do nascimento de um suíno com características assustadoras. A notícia foi dada pelo portal Medeiros Dia Dia, que tem sede na cidade de Medeiros Neto. A reportagem é de Elizeu Portugal e as fotos de Naiara Santos.

De acordo com o site, Nilza Santos, que é sobrinha de Joaquim Santos, dono do animal, contou que a porca teve três filhotes e apenas um, que já nasceu morto, apresentou anomalia, que pode ser, a grosso modo, descrita como se fosse o acréscimo de uma estrutura semelhante a uma cabeça sobre o crânio do animal.

Ainda de acordo com o site, o filhote foi congelado.

A reportagem completa do Medeiros Dia Dia você acessa aqui.

Continuar leitura...

Destaque HOME

Sem previsão de chuva, Condomínio Village, em Alcobaça é uma ótima opção para final de semana prolongado

Publicado

em

Aproveite o feriado prolongado da próxima semana (de 28 de abril a 1º de maio) e descanse com sua família e seus amigos em Alcobaça, a praia mais linda do extremo sul da Bahia.

O Condomínio Village do Itanhém, de frente pra o mar, é um lugar confortável, seguro e aconchegante, uma grande oportunidade para você, sua família e seus amigos descansarem para repor as energias.

Casas com três quartos, mobiliadas, com acomodação para 10 pessoas, por um preço que você não vai acreditar.

O condomínio é fechado e tem estacionamento. As reservas podem ser feitas pelo WhatsApp (73) 9 8839-5760.

Veja abaixo que não há previsão de chuva para esse período e vá logo se programando.

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA