Connect with us

Sem categoria

Porque amanhã é 30, hoje Zarfeg celebra “Cantigas de fim de tarde”, de Matusalém Dias de Moura

mm

Publicado

em

O livro “Cantigas de fim de tarde” está com Almir Zarfeg desde julho de 2015, mas só agora, às vésperas de completar mais um ano de vida, o poeta baiano resolveu dar publicidade ao presente recebido de Matusalém Dias de Moura, advogado e poeta capixaba.

O gesto zarfeguiano é uma forma de retribuir a dedicatória – “Ao inspirado poeta Almir Zarfeg, com amizade e apreço” – com o enaltecimento do artista capixaba e sua obra, dignos que são de reconhecimento e aplausos.

“Mais de uma vez, eu me deliciei com a leitura das trovas presentes em ‘Cantigas de fim de tarde’”, disse Zarfeg, confirmando que seu interesse por esse tipo de poema tenha no trovador capixaba um estímulo e incentivo.  

“Desde então, venho lendo as trovas publicadas e ilustradas por Matusalém nas redes sociais. Mais que isso, acabei compondo as minhas próprias trovíssimas”, acrescentou.

A primeira trova composta por Zarfeg data de 5 de maio de 2015 e, adivinhem, foi dedicada a Matusalém pela passagem do aniversário do poeta capixaba. “Obrigado por inspirar minha primeira trova, despretensiosa, mas cheia de boas intenções”, escreveu Zarfeg na oportunidade. “Obrigado, poeta-amigo”, retribuiu o aniversariante.

Como se depreende, antes mesmo de receber o livro de trovas, Zarfeg já havia manifestado interesse por elas, a ponto de escrever a primeira das muitas que viria a produzir nos anos seguintes. Ele ainda dedicaria uma segunda trova ao ilustre acadêmico capixaba.

Matusalém Dias de Moura é poeta, cronista e ensaísta com obra relevante publicada e reconhecida no Estado do Espírito Santo e no país. Membro efetivo da Academia Espírito-Santense de Letras, Academia Iunense de Letras, Academia de Letras Humberto de Campos de Vila Velha, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores (ACLAPT) e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, ele ainda é membro correspondente de instituições literárias importantes, como a Academia de Letras e Artes de Portugal, Academia Mineira de Letras e Academia Cachoeirense de Letras.

Matusalém também teve passagem pela política, quando se elegeu vereador e presidiu a Câmara Municipal de Iúna/ES, sua cidade natal. Há muitos anos, exerce a função de procurador da Assembleia Legislativa do Espírito Santo.

Mestre da trova e do soneto, da aldravia e do haikai, Matusalém coleciona prêmios e homenagens por todo o país, como forma de reconhecimento e chancela pela qualidade de sua produção poética e prosaica.

O saudoso poeta Ferreira Gullar e Matusalém na ABL.

Como os mestres ensinam e inspiram, ainda que de maneira informal, muitos se beneficiam disso. Como é o exemplo de Zarfeg, que conseguiu concluir seu primeiro livro de trovas, “Trovíssimas”, que deverá ser publicado em 2020. Clério José Borges, presidente da ACLAPT, já cuida do prefácio.

“A trova reúne singeleza e sofisticação a um só tempo, por isso me atraiu”, afirmou Zarfeg, referindo-se ao fato de que o trovador cuida de temas do dia a dia, com singeleza e simplicidade, mas com requinte técnico, rimando e metrificando os quatro versos que compõem esse poema que remete aos momentos inaugurais da cultura portuguesa.  

Ele acrescentou: “Portanto, é mais que uma quadra. Técnica e necessariamente, a trova se diferencia por duas especificidades: precisa ser rimada (1º com 3º verso, 2º com 4º verso) e metrificada (cada verso possui sete sílabas métricas)”.

Zarfeg, que ainda se considera um aprendiz de trovador, segue animado porque se cerca dos melhores, como sempre fez e fará em suas escolhas na vida.

Em 2018, ele foi empossado Membro Correspondente Fundador da ACLAPT, tendo o saudoso Manezim do Gavião como patrono. Este ano, durante o XVII Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, o ilustre itanheense será homenageado como Poeta do Ano, enquanto Matusalém receberá o título de Trovador do Ano.

“Seja no verso ou na prosa, estamos muito bem acompanhados e, igualmente, reconhecidos. Gratidão por isso”, concluiu Zarfeg, que preside a Academia Teixeirense de Letras (ATL).

Segue a 2ª “trovíssima” zarfeguiana dedicada a Matusalém:

Dia longo, leve e feliz

Ao poeta Matusalém!

Uma bela flor-de-lis

Na lapela lhe cai bem!

FOTO: Valda Fogaça, Matusalém Dias de Moura e Zarfeg .

Sem categoria

O amigo que me ensinou a não temer o vendaval faz aniversário nesta quinta (19)

mm

Publicado

em

Depois do vendaval que entrou em minha vida e destruiu quase todas as paredes da alma, um anjo me ajudou a retirar os entulhos e separar o joio do trigo. Foi ele, naquela oportunidade, que me ensinou a enxergar o valor da intempérie, por mais amargo e doloroso que fosse aquele momento de angústia e dor.

E aprendi a não temer o vendaval!

Mas, ainda hoje, mesmo ao longe, ainda se ouve o som da procela que ruge ferozmente. Mas tenho ocupado o tempo alimentando as brisas, cuidando das flores mais belas do meu jardim e construindo, dia após dia, o novo mundo, sem a presença da falsidade e da hipocrisia.

Um dia desses, folheando o meu álbum de lembranças deparei com a fotografia das terras de Água Preta, que há algum tempo meus olhos não contemplavam. Era noite e as luzes ardiam em minha pupila. Eu podia ver novamente a Praça da Matriz e, ao lado, a casa onde, em uma noite triste, chorei copiosamente.

E foi ali que meu amigo mais uma vez cantou sabedoria, dando o tom exato de reconforto, através de um ensinamento de nobreza.

– Rios! Já parou para pensar neles? – perguntou-me com a sabedoria dos grandes mestres.

E prosseguiu:

– O Rio Iguaçu nasce da união de outros dois rios e segue um ciclo de proporções majestosas e paisagens exuberantes. Sua extensão é gigantesca.

Atento, eu observava.

– Você já parou para pensar em todos os desatinos que esse rio passa para chegar ao seu destino, com brilho e exuberância? – perguntou.

Fiquei emudecido.

– Pois bem, depois de um longo percurso o Rio Iguaçu chega límpido e soberano ao seu desígnio e, apesar de todos os dejetos que jogam nele pelo caminho, ele sempre será o espelho de Deus por sua grandeza e vontade de chegar – filosofou.

A beleza a que meu amigo se referia são as cataratas do Rio Iguaçu, que tem a maior queda do planeta e nunca deixará de ser uma das maravilhas aos olhos do mundo.

Rios sempre encontram outros rios, conversam entre si e, no final, desaguam no mar. Não importa se no percurso foram maltratados, se desrespeitaram seus direitos de serem rios, se suas margens foram adulteradas ou se tiraram deles a liberdade de seguir o curso natural. Um rio será sempre um rio e nenhum excremento jogado tirará dele o direito de chegar ao mar.

– É a lei do Altíssimo e ninguém muda – pontuou o amigo fiel.

Claro que chorei depois de ouvir tão belo e magnifico ensinamento. E não disse quase nada. As lágrimas não me permitiram dizer muito.

Obrigado, Waguinho!

Parabéns, Waguinho!

FOTO: Waguinho e a esposa, a advogada Kerry Anne Esteves

[Crônica de Edelvânio Pinheiro]

Continuar leitura...

Sem categoria

A aviadora mais sensata, “companheira de alta luz”, faz aniversário nesta quinta (19)

mm

Publicado

em

Ela tinha três orquídeas sob uma redoma. Numa noite de reflexão percebeu que, debaixo de tantas estrelas, certamente haveria outros jardins e paisagens magníficas, que fariam bem àquelas três flores.

O cultivo delas nunca foi nada fácil e levantar aquela superproteção de vidro talvez tenha sido a decisão mais difícil que Sandra Costa precisou tomar. Suas três flores precisavam conhecer o mundo para aprender a lutar contra as vespas e os percevejos. E, precavida, chorou preocupada com os inimigos que as orquídeas enfrentariam no mundo.

Um dia o caminhão parou em frente a antiga e humilde casa da Rua Belo Horizonte para levar as flores. Eram pequenas ainda e foram transportadas junto com os móveis. Naquele momento me senti seguro de que Sandra estava certa de que as três aprenderiam arrancar as mudas de baobás, que por ventura quisessem destruir o canteiro de cada uma delas.

Poderia ser uma viagem por desertos cheios de dificuldades, mas, antes do pessimismo, notei que aquela viagem transcendia o sentido do amor de uma mãe que sabiamente buscou novos jardins para suas orquídeas.

Foi uma luta diária porque os desertos naturalmente são difíceis de vencer. Mas a mãe de três flores lindas precisava ser persistente.

Sandra caminhava alguns quilômetros diariamente, fizesse chuva ou sol, para levar e buscar Thathira, Lohana e Amy ao Colégio Militar. E, cuidadosa, nunca quis olhar a janela por onde passavam as distrações do mundo. Afinal, existiam as orquídeas para amar, oferecer água na medida certa, luminosidade, contar histórias e tudo mais que uma planta precisa para se desenvolver.

A “companheira de alta luz”, portanto, abdicou de vaidades para cuidar das três filhas e ensiná-las a estar na vida com compromisso e determinação. Para isso ela imaginou que precisava aprender mais sobre a vastidão do mundo para ser ela mesma o exemplo de coragem, determinação e inteligência. Então voltou a estudar e hoje é pós-graduanda em Estética Facial e Corporal.

A mãe das flores é o melhor espelho, onde minhas três filhas contemplam as pétalas tão soberanas e a beleza da jornada.

Hoje, no aniversário da mãe exemplar a vida devolve a ela três doutoras, três orquídeas que se deixaram cativar pelo amor de uma mãe que, como o mais nobre personagem de Antoine de Saint-Exupéry, soube ser a aviadora mais sensata.

FOTO: Estaticista Sandra Costa e o jornalista Edelvânio Pinheiro com suas filhas Thathira Mickaelle (bacharel em direito), Lohana Mehnati (médica veterinária) e Amy Brian (estudante de odontologia pela Universidade Federal do Espírito Santo).

[Crônica de Edelvânio Pinheiro]

Continuar leitura...

Sem categoria

13 candidatos concorrem à eleição de conselheiros tutelares em Itanhém

mm

Publicado

em

As redes sociais e o corpo a corpo têm sido os principais meios de campanha dos 13 candidatos para eleição dos conselheiros tutelares no município de Itanhém. A votação está prevista para o próximo dia 6, das 8h às 17h.

A votação será na Escola Municipal Simplício Binas, na Rua D. Pedro I, no bairro São João e o local onde os votos serão apurados ainda não foi definido pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, que administra todo o processo de votação.

Cinco conselheiros serão escolhidos pela população, através do voto facultativo e secreto. Para votar o eleitor deve estar em dia com suas obrigações perante a Justiça Eleitoral e levar titulo eleitoral e documento de identificação  com foto. Os candidatos eleitos tomarão posse em janeiro de 2020 para mandato de quatro anos.

Os conselheiros tutelares têm o dever de fiscalizar a aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente. A função tem uma remuneração de um salário mínimo e gratificação de R$ 250. Essa gratificação foi implantada pelo ex-gestor Milton Ferreira Guimarães, o Bentivi (PSB) e havia sido cortada desde que a atual prefeita assumiu o mandato. Somente depois de muita cobrança da nova diretoria do Conselho Tutelar, há cerca de quatro meses, a gratificação voltou a ser paga.

VEJA a lista completa dos candidatos e seus respectivos números para votação. Os que estão em destaque concorrem à reeleição:

01 – Ângela Maria Lobêu de Sousa

02 – Amélia Rosa de Brito Rodrigues

03 – Patrícia Fernandes Santos Gonçalves

04 – Eugênio Ferreira dos Santos

05 – Viviane Correa Reis

06 – Grinaldo Costa Medeiros Neto

07 – Maria D’Ajuda Pereira Alves

08 – Cláudia Ferreira de Moura Fontes

09 – Rafaela Cosme Braga Santos

10 – Eduardo Rodrigues Dias

11 – Marcone Coelho Rios

12 – Cleunice Alfaz de Jesus Teixeira

13 – Alex Rodrigues da Silva

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA