Connect with us

News

Porque amanhã é 30, hoje Zarfeg celebra “Cantigas de fim de tarde”, de Matusalém Dias de Moura

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

O livro “Cantigas de fim de tarde” está com Almir Zarfeg desde julho de 2015, mas só agora, às vésperas de completar mais um ano de vida, o poeta baiano resolveu dar publicidade ao presente recebido de Matusalém Dias de Moura, advogado e poeta capixaba.

O gesto zarfeguiano é uma forma de retribuir a dedicatória – “Ao inspirado poeta Almir Zarfeg, com amizade e apreço” – com o enaltecimento do artista capixaba e sua obra, dignos que são de reconhecimento e aplausos.

“Mais de uma vez, eu me deliciei com a leitura das trovas presentes em ‘Cantigas de fim de tarde’”, disse Zarfeg, confirmando que seu interesse por esse tipo de poema tenha no trovador capixaba um estímulo e incentivo.  

“Desde então, venho lendo as trovas publicadas e ilustradas por Matusalém nas redes sociais. Mais que isso, acabei compondo as minhas próprias trovíssimas”, acrescentou.

A primeira trova composta por Zarfeg data de 5 de maio de 2015 e, adivinhem, foi dedicada a Matusalém pela passagem do aniversário do poeta capixaba. “Obrigado por inspirar minha primeira trova, despretensiosa, mas cheia de boas intenções”, escreveu Zarfeg na oportunidade. “Obrigado, poeta-amigo”, retribuiu o aniversariante.

Como se depreende, antes mesmo de receber o livro de trovas, Zarfeg já havia manifestado interesse por elas, a ponto de escrever a primeira das muitas que viria a produzir nos anos seguintes. Ele ainda dedicaria uma segunda trova ao ilustre acadêmico capixaba.

Matusalém Dias de Moura é poeta, cronista e ensaísta com obra relevante publicada e reconhecida no Estado do Espírito Santo e no país. Membro efetivo da Academia Espírito-Santense de Letras, Academia Iunense de Letras, Academia de Letras Humberto de Campos de Vila Velha, Academia Capixaba de Letras e Artes de Poetas Trovadores (ACLAPT) e do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, ele ainda é membro correspondente de instituições literárias importantes, como a Academia de Letras e Artes de Portugal, Academia Mineira de Letras e Academia Cachoeirense de Letras.

Matusalém também teve passagem pela política, quando se elegeu vereador e presidiu a Câmara Municipal de Iúna/ES, sua cidade natal. Há muitos anos, exerce a função de procurador da Assembleia Legislativa do Espírito Santo.

Mestre da trova e do soneto, da aldravia e do haikai, Matusalém coleciona prêmios e homenagens por todo o país, como forma de reconhecimento e chancela pela qualidade de sua produção poética e prosaica.

O saudoso poeta Ferreira Gullar e Matusalém na ABL.

Como os mestres ensinam e inspiram, ainda que de maneira informal, muitos se beneficiam disso. Como é o exemplo de Zarfeg, que conseguiu concluir seu primeiro livro de trovas, “Trovíssimas”, que deverá ser publicado em 2020. Clério José Borges, presidente da ACLAPT, já cuida do prefácio.

“A trova reúne singeleza e sofisticação a um só tempo, por isso me atraiu”, afirmou Zarfeg, referindo-se ao fato de que o trovador cuida de temas do dia a dia, com singeleza e simplicidade, mas com requinte técnico, rimando e metrificando os quatro versos que compõem esse poema que remete aos momentos inaugurais da cultura portuguesa.  

Ele acrescentou: “Portanto, é mais que uma quadra. Técnica e necessariamente, a trova se diferencia por duas especificidades: precisa ser rimada (1º com 3º verso, 2º com 4º verso) e metrificada (cada verso possui sete sílabas métricas)”.

Zarfeg, que ainda se considera um aprendiz de trovador, segue animado porque se cerca dos melhores, como sempre fez e fará em suas escolhas na vida.

Em 2018, ele foi empossado Membro Correspondente Fundador da ACLAPT, tendo o saudoso Manezim do Gavião como patrono. Este ano, durante o XVII Congresso Brasileiro de Poetas Trovadores, o ilustre itanheense será homenageado como Poeta do Ano, enquanto Matusalém receberá o título de Trovador do Ano.

“Seja no verso ou na prosa, estamos muito bem acompanhados e, igualmente, reconhecidos. Gratidão por isso”, concluiu Zarfeg, que preside a Academia Teixeirense de Letras (ATL).

Segue a 2ª “trovíssima” zarfeguiana dedicada a Matusalém:

Dia longo, leve e feliz

Ao poeta Matusalém!

Uma bela flor-de-lis

Na lapela lhe cai bem!

FOTO: Valda Fogaça, Matusalém Dias de Moura e Zarfeg .