Connect with us

News

Que em 2020, Deus de Abraão, estejamos livres dos falsos profetas da política. Amém!

Edelvânio Pinheiro

Publicado

em

Compartilhe

Já estamos em 2020, no primeiro dia do ano e recordo-me que teu filho Jesus disse que “as pedras clamariam se seus seguidores se calassem”. Portanto, primeiramente, permita que este humilde escriba seja uma dessas pedras para se pronunciar diante do terrível mal administrativo que se apossou da nossa amada terra nos últimos anos.

Por muitas vezes, em razão do abandono por que passa a nossa querida cidade, ouvimos nas redes sociais e lemos nos noticiários sobre um conterrâneo nosso que foi obrigado a abandonar a sua história, se mudando para outra cidade em busca de tratamento para si, seu filho ou sua mãe e até se mudando para outro país em busca de melhores condições de vida para sua família.

Por muitas vezes também ouvimos e lemos que alguns de nossos irmãos dormem com fome, choram por alguma doença ou por desespero pelas dificuldades que vêm enfrentando diante da mínima condição sobrevivência que não têm. Sempre falta comida, casa pra morar, médicos e remédios, uniforme e transporte escolar e até caderno e lápis para os filhos irem à escola.

Nesses últimos anos muitos de nossos amigos e familiares nos deixaram pela irresponsabilidade do poder público e muitos outros, por pouco, não perderam a vida ao trafegar pelas estradas perigosas em épocas de chuva ou ao atravessarem uma ponte assassina em qualquer região do nosso município.

Neste Ano-Novo o que haveria de pedir a Ti, poderoso Deus de Abraão?

Recordando o nobre gesto de Salomão, gostaria de pedir que dê sabedoria aos meus conterrâneos: que eles não se deixem enganar pelos falsos profetas da política novamente, pelos lobos que se vestem de cordeirinhos para assaltar os cofres públicos, em detrimento de uma população que arde no sofrimento pelo caos administrativo; que eles nunca permitam que a raposa tome conta do galinheiro e que, por justiça, todos aqueles que tiraram o pão da boca do pobre para embelezar suas fazendas, suas empresas ou beneficiar seus familiares com empregos sejam exemplarmente punidos pela tua mão poderosa.

[Crônica de Edelvânio Pinheiro]