Connect with us

Entretenimento

Veja as melhores dietas para seguir em 2018

mm

Publicado

em

[Boa Forma]

Todo ano, conceituados médicos e nutricionistas americanos analisam os planos alimentares que serão destaque nos próximos doze meses entre a população dos Estados Unidos. As avaliações dão origem ao ranking Melhores Dietas, divulgado pela empresa de comunicação U.S. News & World Report. A edição de 2018 foi publicada na últma quarta-feira (3) e traz boas novidades.

Pela primeira vez, a dieta mediterrânea empatou em primeiro lugar com a dieta Dash na categoria Melhores Dietas em Geral. O programa que visa combater a hipertensão e proteger o coração sempre leva a melhor na lista. Mas, segundo os especialistas, o estilo de alimentação característico de países mediterrâneos, como Espanha e Grécia, aumenta a longevidade e ajuda a prevenir uma série de doenças crônicas.

A terceira posição do ranking geral ficou com a dieta flex, que reduz a proteína animal e aumenta o consumo de itens vegetais a fim de reduzir peso e melhorar a saúde. O quarto lugar ficou com o programa Vigilantes do Peso, que também se destaca nas categorias Melhores Dietas para Perda de Peso (1º lugar), Melhores Dietas para Perda de Peso Rápido(empatado em 1º lugar com a dieta HMR, que visa o emagrecimento e o fim do efeito sanfona a partir de substituições de refeições e maior ingestão de frutas e verduras) e Melhores Dietas Comerciais (1º lugar).

Novas no pedaço

Neste ano, dois novos modelos alimentares foram ranqueados: a dieta Keto e a “Nutritariana”. A primeira tem como proposta eliminar os quilos extras rapidamente e também melhorar o humor, o foco e a energia – tudo isso por meio de um cardápio com pouco carboidrato e mais gordura. Já a segunda busca garantir um processo de emagrecimento sem contar calorias e com alta ingestão de alimentos integrais e ricos em nutrientes.

Plant-based

A U.S. News & World Report também elencou os melhores planos alimentares plant-based, isto é, que promovem uma alimentação mais natural. Em primeiro lugar ficou a dieta mediterrânea; em segundo, a dieta flex; e, em terceiro, a dieta Ornish, cuja intenção é fazer você “se sentir melhor, viver mais, perder peso e ganhar saúde”.

A melhor dieta para você

Antes de escolher um desses programas para seguir, lembre-se de que a melhor dieta é aquela que se adequa ao seu organismo e à sua rotina. Mais: a orientação e o acompanhamento de um um nutricionista ou nutrólogo são fundamentais para o plano dar certo e ser sustentável.

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado
Clique para comentar

Deixe sua opnião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Erro na estreia de “Segundo Sol”: homem aparece em cena de barco. Reparou?

mm

Publicado

em

[Tatiana Leonel/ VIX]

O primeiro capítulo de “Segundo Sol”, nova novela das 21h na TV Globo, provou que a trama tem tudo para ser um grande sucesso. Entre fortes emoções, a trilha sonora nostálgica e a paisagem da Bahia, um erro de gravação inesperado não passou despercebido na estreia da trama.

Erro na estreia de “Segundo Sol”

Na cena, Beto Falcão (Emilio Dantas), que já tinha sido dado como morto em sua cidade natal, fazia um passeio de barco com Ícaro (Thales Miranda), filho de Luzia (Giovanna Antonelli), na ilha de Boiporã, para pescar.

O garoto, então, decidiu se jogar na água para dar um mergulho. Beto fez a mesma coisa e os dois protagonizaram momentos divertidos em alto mar.

Na hora de retornarem ao barco, no entanto, um detalhe inusitado chamou a atenção. Se antes os dois protagonistas estavam sozinhos, apenas alguns instantes depois, um homem apareceu repentinamente deitado no fundo da embarcação. Repare:

As hipóteses são de que o homem misterioso possa ser um operador de câmera, alguém colocado para dar mais sustentação ao barco ou até um salva-vidas para a criança em cena.

O erro, que consiste em deixar elementos dos bastidores em evidência, é considerado comum e já foi visto em outras novelas, não só da Globo, como também em “Os Dez Mandamentos”, da RecordTV.

Você já tinha percebido?

Continuar leitura...

Entretenimento

Como deixar a sua casa mais aconchegante no inverno

mm

Publicado

em

[Casa.com.br]

Com tendências como o hygge despontando na decoração, é o mínimo você sentir aquela vontade de deixar a sua casa mais aconchegante para os meses de inverno. Tudo bem que, no Brasil, a estação não é nem de longe tão forte quanto em outros países do mundo, mas isso não significa que precisamos deixar essa ideia lado.

Ter uma casa mais aconchegante significa que você presta atenção nos detalhes e valoriza muito o conforto – é por isso que o hygge ficou tão famoso, porque ele defende um ambiente muito confortável e que seja convidativo. Ou seja, você sente vontade de ficar enrolada no sofá assistindo Netflix durante o fim de semana.

Quer você esteja montando a decoração da sua casa agora, quer esteja apenas fazendo uma mudança e adaptando a casa para o inverno – e pretende manter essas mudanças por um tempo – você pode seguir essas dicas para deixar a sua casa mais aconchegante:

1.Use cores quentes

Enquanto cores claras fazem um ambiente ficar mais iluminado e arejado, cores escuras têm um efeito contrário – elas deixam um ambiente com a impressão de ser menor e mais quente, aconchegante. Mesmo brancos e pretos tem subtons mais quentes e que passam essa sensação (o cinza queimado é um exemplo).

2.Atenção à iluminação

Muitas vezes, a diferença entre um ambiente quente e outro frio é a iluminação. As luzes de teto e mais claras devem ser reservadas para os momentos em que você precisa mesmo de claridade, por exemplo, quando recebe muitos convidados em casa ou está arrumando o seu quarto. Mas ter fontes múltiplas de luz nos ambientes principais de casa (como a sala de estar e os quartos) é importante para ajudar no fator aconchego: varie as lâmpadas entre mais quentes e mais frias para conseguir criar um clima diferente conforme o seu desejo.

3.Tenha coisas que você ame ao redor

Mais importante do que qualquer outra coisa, é você ter ao redor objetos que ama. Uma coleção de livros especiais, aquela manta que você ganhou da sua avó quando era mais nova, uma caneca preferida para fazer chá à noite, coisas que tragam uma sensação de bem-estar e deem vontade de ficar nos cômodos de casa.

4.Coloque um cobertor no sofá

Como no inverno as pessoas gostam de ficar mais aconchegadas umas nas outras, uma boa ideia é colocar um cobertor nas costas do sofá. Escolha uma versão mais grossa e que dê vontade de jogar sobre o corpo quando você estiver sentada ali, lendo ou vendo TV.

5.Deixe cobertores extras à mão

Não quer cobrir o sofá? Sem problemas, use um cesto bonito ou uma caixa decorativa para estocar alguns cobertores em pontos chave da sua casa (como a sala), para que fiquem acessíveis para você, sua família e convidados.

6.Brinque com texturas

Se você tem paredes e chão pelados, brinque com texturas. Coloque um tapete fofinho no quarto, ao pé da cama, prenda uma manta bonita na parede atrás da cabeceira ou acima do sofá, elementos mais quentes que ajudem a tornar o ambiente mais aconchegante.

7.Almofadas

Muitas almofadas! Coloque algumas em cima da cama, outras no sofá, e abuse da quantidade. Nada mais convidativo do que deitar em cima de várias almofadas gostosas depois de um dia de trabalho ou que você passou indo de um lado para o outro.

Continuar leitura...

Entretenimento

Como ser mãe pode torná-la uma profissional melhor

mm

Publicado

em

[Forbes Brasil]

Quando os assuntos são maternidade e carreira, talvez a abordagem mais frequente consista em destacar a dificuldade de conciliar os dois papéis. Esses obstáculos, sem dúvida, existem. Porém, é cada vez menos raro ouvir relatos de mulheres que dominaram o processo e se tornaram ótimas profissionais apesar de serem mães – ou, talvez, justamente por isso.

A psicóloga e colunista da revista “Pais e Filhos” Elizabeth Monteiro e a coach de maternidade Roselake Leiros são unânimes quanto a isso. “Filho não impede ninguém de chegar aonde quer”, pontua a primeira. “É possível conciliar, mas a mulher precisa se questionar se realmente quer ser mãe e, caso a resposta seja positiva, preparar-se para isso, para que seja uma tarefa prazerosa e mais fácil de colocar em prática”, explica Roselake. “As pessoas se preparam muito para ser boas profissionais, passam anos investindo na formação, mas não se preparam para ser boas mães.”

No entanto, todo mundo sabe que a maternidade vem acompanhada de inúmeros desafios – alguns deles sentidos no mercado de trabalho. “Existe um preconceito de que a mulher vai dar despesa e atrapalhar a empresa”, relata Elizabeth. “É uma pena, mas ainda há muito preconceito. E não só nos cargos mais baixos ou operacionais – mesmo em posições de alto escalão vemos isso acontecer”, completa Roselake.

Porém, a relutância em apostar em profissionais mulheres e mães não é unânime. “Quando a profissional é competente e apresenta um currículo bom, isso fica em segundo lugar. Para ser admitida realmente existe uma política mais difícil para a mulher, mas é claro que, se ela apresentar um bom CV e fizer uma boa entrevista, o fato de ser mulher fica em segundo lugar e predomina a profissional”, diz Elizabeth. “Já existem muitas empresas que se preocupam apenas com a entrega e a qualidade do trabalho, que não querem nem saber se ele está sendo feito por um homem ou uma mulher, se é casado ou tem filhos. Querem apenas ver a coisa acontecer”, diz Roselake, que completa notando que tal política é positiva tanto para as profissionais quanto para as empresas, pois é bem provável que essa mulher se desdobre para entregar um bom resultado. “Quando alguém é reconhecido e respeitado, também reconhece e respeita, então entrega muito mais.”

Porém, os desafios não são todos impostos pelo mercado. As próprias mulheres tendem a criar barreiras e dificuldades na hora de conciliar as duas tarefas. O primeiro desses desafios talvez seja o de saber priorizar. “Tem momentos em que a família e o filho são prioridades. Então, é preciso assumi-los sem culpa”, explica Elizabeth. “Uma mãe culpada não consegue nem criar o filho e nem trabalhar.” Roselake completa: “Um grande desafio é o interno, de conciliar tudo e aceitar. Ser forte e flexível o suficiente para isso”.

Também é fundamental aprender a separar as duas coisas. “A hora em que estiver no trabalho, tem de realmente estar lá. Quando for embora, não pode levar trabalho para casa, pois trabalhar e estar com a família ao mesmo tempo não dá certo. Home office também é difícil, só dá certo se a mulher for muito disciplinada”, explica Elizabeth.

O que pouco se diz, no entanto, é que, ao se tornar mãe, a mulher adquire novas habilidades e aprimora muitas das que já tinha. Se bem utilizadas, essas capacidades têm o poder de melhorar o desempenho das profissionais.

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA