Connect with us

Destaque HOME

Vereda: Assassinato do ex-prefeito Carlito Tanajura completa 12 anos sem o julgamento dos culpados

mm

Publicado

em

[Athylla Borborema, do Teixeira News] No próximo dia 8 de julho, completará 12 anos que o ex-prefeito de Vereda, por dois mandatos, Francisco Silva Passos, o “Carlito Tanajura”, de 58 anos na época, foi assassinado com um tiro na testa no interior da sua própria casa e os seus quatro acusados nunca foram condenados. O mandante e um dos seus agenciadores chegaram a ser presos, mas foram soltos meses depois por decisão da justiça.

O crime na ocasião foi desvendado em 7 dias pela Polícia Civil e “vingança” foi a motivação da morte contida no topo do inquérito policial e na tipificação do Ministério Público Estadual. A morte foi encomendada a um pistoleiro profissional com vários mandados de prisão em aberto pela prática de outras execuções em vários estados brasileiros.

Conheça o caso

Na ocasião do crime o então diretor da 8ª Coordenadoria Regional da Polícia Civil em Teixeira de Freitas, delegado André Luiz Serra (assassinado a tiros aos 42 anos em 29 de outubro de 2009, na cidade de Ipiaú, no sudeste da Bahia), foi quem presidiu o inquérito do caso em 2006 e conseguiu desvendar o crime em apenas 07 dias, que aparentemente estava difícil de esclarecer.

O assassinato de Carlito Tanajura aconteceu por volta das 19h horas de sábado do dia 08 de julho de 2006, dentro da casa do ex-prefeito no distrito de Cruzeiro do Sul, município de Vereda. O homem que lhe matou com um único e certeiro tiro na testa, teria tido primeiro, um bate-papo de 30 minutos com a vítima e após se distrair para pegar um cigarro que seria oferecido ao criminoso a pedido do próprio autor, ele levou um tiro fatal na testa

O matador era um elemento que vinha se passando por vendedor de peixe, na intenção de desmoralizar o ex-prefeito, que nada percebeu a pretensão do pistoleiro. Naquele sábado ele teria chegado à casa da vítima e feito mais uma entrega de peixe para a esposa de Carlito Tanajura, e depois o homem passou a papear com o mesmo, e até lhe convidou para serem sócios numa peixaria. Oportunidade que resolveu lhe abater na frente de casa com um único e certeiro tiro na cabeça, e depois o pistoleiro fugiu numa Moto.

Francisco Silva Passos, o “Carlito Tanajura”, de 58 anos de idade na época, foi prefeito do município de Vereda por duas gestões seguidas, de 1997/2000 e 2001/2004. O então delegado e saudoso André Luiz Serra que assumiu a presidência das investigações na ocasião, conseguiu em 7 dias, desvendar o crime, prendendo, inclusive, o mandante do crime e um dos homens que agenciou o pistoleiro.

Na época o delegado prendeu o empresário Manoel Francisco da Mota, o “Chiquinho do Posto” ou “Chiquinho Babão”, de 75 anos na ocasião e hoje com 87 anos, dono na época de um Posto de Combustível na Avenida São Paulo em Teixeira de Freitas, que teria encomendado a morte de Carlito Tanajura em vingança a desapropriação de um alqueirão de terra do acusado feita por decreto pelo então chefe do Poder Executivo Muniicpal Carlito Tanajura no ano de 1997 no primeiro ano do seu primeiro mandado de prefeito no município de Vereda, no qual local seria implantado um projeto de uma cooperativa de piscicultura que acabou não dando certo. Daí o motivo que o pistoleiro ficava provocando a vítima com a história do peixe, para motivar a vítima a se lembrar da sua intenção no passado quando prefeito de implantar um projeto de piscicultura.

Após a publicação do decreto de desapropriação em 1997, “Carlito Tanajura” passou naquela ocasião a sofrer ameaças de Chiquinho do Posto, mais logo as intimidações sumiram. E somente 4 meses antes da sua morte ele voltou a sofrer ameaças de morte, no entanto, já não sabia mais de quem estava partindo os telefonemas ameaçadores, até porque o caso com Chiquinho já havia passado 09 anos.

E justamente 9 anos depois da desapropriação, Chiquinho do Posto encomendou o crime ao seu Genro Jânio Leal, que pagou R$ 5 mil pelo serviço, que por sua vez Jânio encomendou o assassinato ao Agricultor Escieles Correia Pinto, o “Helinho da Farinheira”, de 49 anos na época e com 61 anos, que também foi preso e apreendido com ele um revólver calibre 38 marca Taurus usado no crime pelo pistoleiro, e um rifle de repetição, além da Moto Bros vermelha, placa JQJ-1358, usada pelo matador.

O “Helinho da Farinheira”, teria contratado o pistoleiro conhecido por Chapéu que usa dois nomes: Gerfesson Pereira da Silva e Daniel Felix da Guarda, que na ocasião possuía mandados de prisão expedidos pelos estados do Paraná, Santa Catarina, Espírito Santo e Bahia também por crimes de pistolagem, e havia passado 8 anos preso em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, também por crime de pistolagem (terra natal de Helinho da Farinheira) que confessou toda a trama do crime, e se colocou realmente como o agenciador que contratou o matador de aluguel para a empreitada.

A denúncia do promotor de justiça Wallace Carvalho Mesquita de Barros, da comarca de Prado na ocasião, se deu no dia 25 de outubro de 2006. Hoje o processo corre no Fórum do Poder Judiciário de Itanhém, porque o município de Vereda, atualmente integra a comarca de Itanhém. O crime aparentemente está esquecido e ainda não se tem notícia do julgamento dos acusados. A justiça tem ainda 8 anos para levar os causados à júri-popular e se a tempo não ocorrer, a impunidade pode prevalecer com a prescrição do processo em 2026.

Conforme a denúncia do Ministério Público Estadual apurou-se que o homicídio foi cometido por motivo torpe, consistente no ódio, que o acusado Chiquinho do Posto nutria por Carlito Tanajura decorrente de pretérita desapropriação da sua área de terra e por tal razão resolveu se vingar do ex-prefeito, 9 anos depois, tendo preservado a vingança silenciosamente e aguardado a vítima abandonar a vida pública para pôr em prática seu plano criminoso. Tendo ainda, contado com o auxilio dos demais para perpetrar o crime mediante o pagamento de recompensa pela consumação do assassinato.

FOTO: Ilustrativa.

Destaque HOME

Apoiadores de Mildson Medeiros vão receber Cacá Leão e Zé Cocá no trevo da cidade, de onde sairão em carreata

mm

Publicado

em

O ex-candidato a prefeito de Itanhém, Mildson Medeiros (PSD), anunciou nas redes sociais que a recepção aos candidatos a deputados que ele apoia vai iniciar no trevo da cidade, na BA-290, de onde todos seguirão em carreata para a Praça Otávio Mangabeira, no Bairro São João, onde está instalado o Terminal Rodoviário.

A expectativa dos apoiadores de Mildson  Medeiros é a de que a recepção a Cacá Leão [candidato a federal] e Zé Cocá, ambos do Partido Progressista, será o maior evento político do ano no município.

Ao contrário de outras recepções à candidatos, que aconteceu em locais de pouco espaço e inadequados,  como a Casa da Cultura, por exemplo, Mildson Medeiros escolheu um logradouro público, que poderá reunir o maior número possível de pessoas.

Considerado a maior liderança política do município da atualidade, o ex-candidato a prefeito mostra o seu prestígio político quando consegue trazer a Itanhém o vice-governador da Bahia, João Leão (PP), numa eleição muito disputada e com pouco tempo disponível para campanha.

Continuar leitura...

Destaque HOME

Vereador reivindica ambulância que teria sido solicitada por Ronaldo Correia

mm

Publicado

em

O vereador Sasdelli Resende (PSDB) reivindicou a ambulância que foi comprada para o município de Itanhém, através de uma emenda do deputado Roberto Brito (PP). A imprensa noticiou  que a ambulância havia sido solicitada pelo presidente da Câmara, Ronaldo Correia (PC do B). Até o site ItanhémFest, que dá sustentabilidade à administração de Zulma Pinheiro (MDB), prefeita a quem Sasdelli Resende é ligado politicamente, noticiou que o veículo tratava-se da segunda ambulância que Ronaldo Correia havia conseguido para a população de Itanhém.

Quando provocado em um grupo de WhatsApp, Sasdelli Resende publicou um documento que diz ser a comprovação de que a emenda da ambulância foi destinada a ele e não a Ronaldo Correia. Além disso, o vereador gravou um áudio nas redes sociais.

“Essa ambulância é um pedido que fiz, junto com a prefeita Zulma, ao deputado Roberto Brito. Mandei [no WhatsApp] foto do documento datado e assinado, de onde sai e para onde vai, então, está tudo registrado. Até o final de semana Batinga será contemplado, como foi prometido pelo vereador Sasdelli”, disse.

Com a reivindicação de Sasdelli Resende, Ronaldo Correia precisa agora apresentar à população a segunda ambulância que disse ter conseguido para Itanhém, através do deputado Roberto Brito. O parlamentar, por sinal, em reportagem no último dia 4 de agosto afirmou ao Água Preta News a existência de uma emenda para aquisição de uma ambulância que havia sido solicitada por Ronaldo Correia. Até o momento o presidente da Câmara não se manifestou sobre o assunto.

FOTO/redes sociais: A ambulância, de acordo com o vereador Sasdelli atenderá a população de Batinga.

Continuar leitura...

Destaque HOME

Vereador desmente assessor da prefeita, dizendo que deputados não são contra asfalto de Batinga

mm

Publicado

em

A prefeita de Itanhém, Zulma Pinheiro (MDB), não executou emendas importantes para o desenvolvimento do município, que foram solicitadas pelo vereador Whindson Moreira Mendes, o Nem Mendes (PP), aos deputados Ronaldo Carletto e Robinho, ambos do Partido Progressista.

O vereador, que já foi presidente da Câmara Municipal, faz oposição a chefe do Executivo e os deputados não são os candidatos que ela apoia.

No total, Nem Mendes conseguiu R$ 630 mil em emendas com os parlamentares: R$ 300 mil para a saúde, R$ 80 mil para aquisição de uma ambulância e R$ 250 mil para o calçamento de várias algumas no distrito de Batinga. Todos esses valores, de acordo com o vereador, já foram depositados na conta da prefeitura e as obras não têm se quer previsão de início.

Com os deputados, Nem Mendes ainda conseguiu a perfuração de um poço artesiano, com uma vazão de 28 mil litros de água por hora e a construção de toda a logística de distribuição da água para mais de 430 residências do distrito de Santa Rita do Planalto. Só na logística foram investidos R$ 530 mil. Esta obra vem sendo realizada porque, segundo Nem Mendes, não depende de decisão da prefeita para executá-la.

Na defesa dos interesses políticos de Carletto e Robinho, Nem Mendes, entre outras lideranças, conta com o apoio do vereador André Correia (PHS), que é o maior nome da oposição no Legislativo.

Na noite desta segunda-feira (24), nas redes sociais, um dos assessores da prefeita fez insinuações de que os deputados Ronaldo Carletto e Robinho são contra o asfaltamento da BA-290, no trecho que liga a cidade de Itanhém ao estado de Minas Gerais e o vereador rebateu a postura do assessor.

“Tenho motivos para não votar mais. Já votei e não gostei. Querer impedir o asfalto pra Batinga é golpe baixo”, escreveu o assessor em um grupo de WhatsApp, ao passo que contestado pelo vereador. “Como assessor da prefeita, pede a ela para executar a emenda que os deputados Robinho e Ronaldo Carletto colocaram para fazer o calçamento de Batinga”, disse Nem Mendes, desafiando. “Aí você vem com essa mentira que os deputados estão contra o asfalto; manda aí a reportagem que você viu”.

FOTO/arquivo: Nem Mendes quando esteve na CERB, em Salvador, com o deputado Robinho, para conseguir poço artesiano e outras obras.,

Continuar leitura...
Anúncio Patrocinado

EM ALTA